Pesquisar este blog

Companheirismo no Namoro e no Casamento – Bruce Anstey


(Lassen Pines, CA – 8 de Julho, 2005)

Daremos continuidade ao assunto que começamos ontem: companheirismo. Nós falamos sobre o que é ter a companhia do Senhor Jesus e o que é ter a companhia do apóstolo Paulo; falamos também sobre a importância de estar em companhia de todos aqueles que temem a Deus e guardam os Seus preceitos. Agora eu gostaria de mudar um pouco a direção e falar sobre companheirismo no casamento. Eu sei que não sou a pessoa mais qualificada para falar sobre esse assunto; talvez irmãos mais velhos que eu falariam com mais entendimento sobre essa questão. A maioria das coisas que eu vou falar aqui foi transmitida a mim por outros (especialmente pelo irmão Gordon Hayhoe) e meu exercício é passar esses princípios para guiar vocês.

Alguns de vocês podem estar dizendo: “Isso não se aplica a mim, porque eu não vou me casar”. Saibam que houve um jovem rapaz que também dizia isso. Ele declarou que não iria se casar. Ele se devotou ao Senhor, e queria se manter livre para servir ao Senhor inteiramente e sem distrações. E até se gabava disso. Bem, mas o que aconteceu foi que ele conheceu uma jovem irmã que mudou sua mente! E isso se tornou um problema, porque ele vinha dizendo a um bom tempo que não se casaria. Então ele foi até alguns irmãos mais velhos e lhes perguntou o que achavam que deveria fazer. Ele disse: “Todos sabem que eu venho dizendo que nunca me casaria, e agora? O que devo fazer? ” Eles pensaram um pouco sobre a questão e disseram: “Confesse ao Senhor sua vanglória como um pecado, vá e se case com essa irmã!”. Então, se houver algum jovem irmão aqui pensando assim também, não se apresse com seus lábios; você não sabe o que está à frente em sua vida. Eu quero dizer que as irmãs têm um jeito especial de mudar a sua cabeça - até mesmo depois que você já estiver casado!

Creio que a maioria de vocês esteja procurando por uma companhia e eu vou endereçar minhas observações a estes, embora Deus chame alguns para serem solteiros, e ser esse um caminho ainda mais elevado, como afirmam as escrituras (1 Co 7:37-38).

O Propósito do Casamento


Para começar, vamos falar sobre o propósito do casamento. Eu gostaria de expor quatro razões porque Deus nos deu o casamento. Em Gênesis 2:18 lemos: “E disse o Senhor Deus: Não é bom que o homem esteja só; far-lhe-ei uma ajudadora idônea para ele.” (RF) E depois em Malaquias 2:14 diz: “[...] sendo ela a tua companheira, e a mulher da tua aliança." (RF)

Esse é o primeiro propósito do casamento, prover companheirismo íntimo.

Um casamento de acordo com a vontade do Senhor será, definitivamente, um companheirismo. Adão estava sozinho no jardim e o Senhor olhou e disse: “não é bom que o homem esteja só”. Existe uma solidão que experimentamos sendo solteiros e que o casamento preenche. Nós sabemos que Isaque, por exemplo, foi consolado, após a morte de sua mãe, casando-se com Rebeca (Ge. 24:67).

A intenção de Deus é que a mulher seja “ajudadora, semelhante a ele” (JND). A ideia aqui é que haja capacidade. Quando Deus une duas pessoas em um casamento, Ele capacita um ao outro para atender às suas necessidades recíprocas. Eles serão dois que pensam de forma semelhante e caminham juntos.

Em segundo lugar, é dito em 1 Co 7:2 “Mas, por causa da prostituição (fornicação), cada um tenha a sua própria mulher, e
cada uma tenha o seu próprio marido”. Aqui nós temos outra razão: evitar cair em fornicação. Você pode pensar que este é mais inferior e básico motivo para o casamento. Sim, talvez esta seja a menor das razões, mas é uma razão – e uma razão bíblica! Eu estou só esperando o próximo jovem dizer (e eu já ouvi isso), “Quem precisa se casar? Eu não vou me casar”. E eu vou dizer: “Quem precisa casar? Você! VOCÊ precisa se casar”. Nós sabemos como somos feitos, e todos temos a carne em nós e todos temos instintos do homem caído. Deus sabe muito bem disso e proveu o casamento para cuidar de nós, nos livrando do pecado, como Ele menciona no versículo acima.

Em terceiro lugar, vamos ver 1 Co 16:15-16: “Agora vos rogo, irmãos (sabeis que a família de Estéfanas é as primícias da Acaia, e que se tem dedicado ao ministério dos santos), que também vos sujeiteis aos tais, e a todo aquele que auxilia na obra e trabalha.” Aqui está um homem com um lar, o que significa que ele tinha uma esposa, e eu diria que tinha filhos e provavelmente empregados também, pois a palavra ‘família’ aqui tem um significado mais amplo do que apenas esposa e filhos de um homem.

“Casa de Estéfanas” foi ressaltada pelo apóstolo como sendo um modelo de lar que sustentava o testemunho do Senhor em Corinto. Ela foi utilizada para ajuda e fortalecimento da assembleia naquela localidade. Eu acredito que esta seja mais uma razão por que Deus nos ter dado o casamento, para ser um suporte ao testemunho cristão. Este aspecto do casamento é tido como uma parceria na obra do Senhor. Priscila e Áquila são um exemplo disso (At. 18:2-3, 24-28; Rm 16:3-4; 1 Co 16:19; 2 Tm 4:19). Irmãos jovens que pensam em se casar deveriam se exercitar sobre este aspecto. Se o Senhor nos deixar aqui por mais um tempo, muitos de vocês se casarão e terão um lar; e nós confiamos que serão usados para este propósito. Nós não devemos pensar apenas nos benefícios pessoais que temos com o casamento (e há abundância deles). Nós deveríamos considerar o lado das coisas que incluem o serviço do Senhor e o suporte ao Seu testemunho.

Se não fosse esse aspecto do casamento, não haveria um lar, e sem um lar seria improvável a existência de assembleias, porque as famílias são a espinha dorsal da vida de uma assembleia. Há uma grande carência nesta área nas assembleias hoje. Há um pequeno número de locais de reuniões por todo o país; muitos deles estão fracos e precisam ser fortalecidas. Você pode ser um grande auxílio nessa área tendo um casamento sólido e um lar de todo dedicado ao serviço do Senhor. Nós somos gratos a todos aqueles que têm seus lares abertos aos santos e aos que dão suporte ao testemunho do Senhor em suas localidades. A casa de Gaio, em 3 João 5-7 é outro exemplo disso.

Um quarto propósito do casamento está em Efésios 5:25, 29-32: “Vós, maridos, amai vossas mulheres, como também Cristo amou a igreja, e a Si mesmo Se entregou por ela [...] Porque nunca ninguém odiou a sua própria carne; antes a alimenta e sustenta como também o Senhor à Igreja; Porque somos membros do Seu corpo, da Sua carne, e dos Seus ossos. Por isso deixará o homem seu pai e sua mãe, e se unirá a sua mulher; e serão dois numa carne. Grande é este mistério; digo-o, porém, a respeito de Cristo e da igreja.” Vejo aqui outro belo propósito do casamento – mostrar uma pequena figura de Cristo e da Igreja. A forma como nos comportamos em nosso casamento deveria ser uma réplica do amor de Cristo pela Igreja e da submissão da Igreja a Ele. Com certeza nós estamos longe disso, mas este deveria ser o nosso alvo.

O Duplo Relacionamento no Casamento Cristão

Vamos ler 1 Coríntios 9:5: “Não temos nós direito de levar conosco uma esposa crente...”. E também em Cantares de Salomão é dito por sete vezes, “Minha irmã, minha esposa.” Essa expressão indica a existência de um duplo relacionamento em um casamento cristão.

Há tanto o relacionamento natural quanto o espiritual. Nós temos “uma esposa”, o que seria o lado natural das coisas e temos “uma irmã”, o que representa o lado espiritual. Isso significa que a minha esposa é para mim tanto minha mulher quanto minha irmã no Senhor. É interessante ver que nas sete referências em Cantares de Salomão e em 1 Coríntios 9 que “irmã” sempre é mencionada antes de “esposa”. Isso me diz que o relacionamento espiritual deve vir em primeiro lugar. Isto deve estar em primeiro lugar nas nossas vidas, antes de termos apropriadamente a outra parte. Nós devemos ter um relacionamento correto com o Senhor antes de termos um relacionamento correto uns com os outros. Existe o lado natural das coisas que não pode ser negligenciado. O que eu quero dizer com isso é que o Senhor não está pedindo para você casar com alguém que você não tenha uma atração natural. Isso faria do casamento uma relação inconfortável e o Senhor entende isso e nos deu o lado natural também. Deus fez cada um de nós diferentes e todos nós temos gostos diferentes. Quanto a mim, eu gosto de sardas! Quando eu entrei para a família Albertson eu pensei que estava no céu! Mas eu encontrei também a unção do Senhor e eu sou grato tanto pelo lado natural como pelo espiritual em nosso casamento.

Casando “no Senhor”

Vamos ler agora 1 Coríntios 7:39: “A mulher casada está ligada pela lei todo o tempo que o seu marido vive; mas, se falecer o seu marido fica livre para casar com quem quiser, contanto que seja no Senhor”. É sobre as últimas duas palavras que eu gostaria de falar. O relacionamento no casamento cristão deve ser um relacionamento “no Senhor”. Paulo usa duas expressões nas suas epístolas; uma é “em Cristo” e a outra é “no Senhor”. Este é um estudo bastante instrutivo para entender como e quando ele usa estas palavras.

“Em Cristo” designa nossa posição perante Deus. Estar “em Cristo”, na qual todo o crente está, é estar na posição de Cristo perante Deus, tal qual é a nossa aceitação individual. A epístola de João diz, “... porque, qual Ele é, somos nós também neste mundo” (I João 4:17). Assim como o Senhor Jesus está agora, descansando em todo o favor e aceitação de Deus, à Sua mão direita, assim estamos nós, na mesma posição, apesar de estarmos aqui neste mundo. Sua aceitação é a medida da nossa. Por outro lado, "no Senhor" refere-se ao reconhecimento da autoridade do Senhor sobre nós, em nossas vidas, de uma forma prática.

Note que Paulo não apresenta o casamento cristão como algo que deveria ser meramente “em Cristo”, mas, ao invés disso, deveria ser “no Senhor!” Isso é algo mais elevado. Todos os cristãos estão “em Cristo”, mas nem todo cristão vive sua vida “no Senhor”. Se Paulo tivesse dito: “...contanto que seja em Cristo”, isto significaria se casar com outro crente e nada mais. Não importaria como essa pessoa estivesse caminhando, contanto que fosse um filho de Deus. Mas ele não coloca essa questão nesse patamar. Perceba também que ele não diz que, “Ela tem liberdade para casar com quem quiser; desde que seja com alguém que esteja na assembleia”. Por quê? Eu penso que nós deveríamos casar com alguém da assembleia. Paulo não diz isso porque pode ser possível que casemos com alguém reunido ao nome do Senhor e mesmo assim não ser um casamento “no Senhor”. Não é porque alguém está na reunião que automaticamente essa pessoa está tentando seriamente viver sob o senhorio de Cristo. Por isso, se um cristão se casa com crente que não esteja andando com o Senhor, isso seria um casamento “em Cristo”, mas não “no Senhor”.

Queridos jovens, nós queremos ver cada um de vocês casando “no Senhor” – um casamento no qual ambos reconheçam as reivindicações do Senhor em suas vidas. Assim vocês terão um feliz e frutífero casamento com a bênção do Senhor. Nos últimos 30 ou 40 anos tem havido muitos divórcios entre cristãos e isto acontece porque esses casamentos não foram “no Senhor”. De alguma forma o mundo entrou nesses casamentos e um ou ambos os parceiros, podem não ter reconhecido a autoridade do Senhor sobre eles, e isto os levou a problemas.

Paulo diz no versículo em 1 Coríntios 7:28, “Todavia os tais terão tribulações na carne, e eu quereria poupar-vos.”Este versículo nos diz que no casamento pode haver “tribulação na carne”. E isto porque há duas “vontades” se juntando e faíscas podem aparecer às vezes. O que Paulo diz é que não precisa ser assim. Ele diz que pode nos“poupar” disso. Como falamos no último encontro, quando Paulo se refere a si mesmo isso é apenas uma referência pessoal, mas geralmente isso representa a sua doutrina - o que ele sustentava e afirmava. Neste caso, eu acredito que seja esta última palavra. Se pessoas seguem o ensino de Paulo a respeito de direção no casamento, eles podem ser livrados de muitos "problemas na carne”. Nós não vamos entrar neste assunto agora, mas basta dizer que há um remédio no que Paulo ensina para problemas no relacionamento conjugal.

“Escolhendo” Versus “Encontrando”

Vamos ler o Salmo 25:12 “Qual é o homem que teme ao Senhor? Ele o ensinará no caminho que deve escolher” e também Provérbios 18:22: “Aquele que encontra uma esposa, acha o bem, e alcança a benevolência do Senhor”. Todos nós sabemos que é o homem que deve dar início a um relacionamento e isto está implícito nesse texto. A ideia de “encontrar” pressupõe que houve uma procura ou busca. Mas perceba, esse texto foi escrito da perspectiva masculina. Ele diz: “Aquele que encontra uma esposa...” Nós não temos um versículo que diz “Aquela que encontra um marido...” e você sabe a razão disso; a mulher não deve ser a que sai em busca. O homem é quem inicia o relacionamento. Mulheres que vão em busca de alguém manifestam certas coisas que os jovens precisam estar alerta; coisas sobre as quais falaremos mais tarde.

Encontrar uma esposa é o exercício do jovem que quer se casar. Mas perceba também que o texto não diz “Aquele que escolhe uma esposa...” mas “Aquele que encontra uma esposa” Eu sei o que querem dizer quando dizem “fulano escolheu uma jovem muito legal”. Mas não encontramos nas Escrituras que é o homem quem deve fazer a escolha. Há diferença entre escolher e encontrar. O versículo do Salmo 25 diz que o Senhor é Quem faz a escolha; o jovem deve procurar. O homem vai à procura e encontra a pessoa que o Senhor escolheu para ele. Eu não quero dizer que ele deva sair correndo atrás de todas as jovens até que encontre a certa, mas simplesmente que encontre aquela que o Senhor tem para ele.

Existem os dois lados disto: a soberania de Deus e a responsabilidade do homem. Quanto à soberania, o Senhor faz a escolha por você, mas quanto à responsabilidade, você faz a busca. Quem melhor do que Senhor para escolher uma esposa para você, querido irmão? O Senhor conhece você melhor do que qualquer um, incluindo você mesmo, e escolherá exatamente o que você precisa em uma companheira. Então, o Senhor faz a escolha e você faz a busca. Este é o caminho indicado nas Escrituras.

Nas ocasiões em que você vê na Bíblia homens escolhendo, no meu modo de ver, estão sempre num mau sentido. Por exemplo, em Gênesis 6:2 é dito que “Viram os filhos de Deus que as filhas dos homens eram formosas; e tomaram para si mulheres de todas as que escolheram.” Mas isso não foi nada mais do que perversidade (ou impiedade). Depois também temos Sansão escolhendo uma esposa; e isto também não teve a bênção do Senhor. Isso significa que você deve orar como o salmista “Mas tu, Senhor Deus, age por mim...” (Sl 109:21 - Revista e Atualizada).

Se Deus tem, em Seus propósitos, planos para você se casar, Ele já escolheu alguém. Isto nos traz grande paz quando sabemos que Ele tem o completo controle da situação. Isso significa que não há necessidade de entrar em pânico, pensando que outro irá se casar com aquela jovem antes de você. Assim, não se aborreça se outro rapaz está prestando atenção na jovem pela qual você tem orado. Se ela é a pessoa que o Senhor escolheu para você, algo acontecerá para que a outra pessoa saia do caminho. Sabendo que o Senhor fez a escolha, você pode ter confiança que Ele cuidará disso.

Há uma pequena figura sobre isso em Juízes 20-21. O julgamento de Deus esteve sobre a tribo de Benjamin por causa do pecado deles e essa tribo sofreu grande redução – apenas 600 homens! Se aquela tribo devesse continuar em Israel, precisaria ser reavivada – e rapidamente. A única forma que ela poderia ser restabelecida seria por meio dos homens encontrando esposas, estabelecendo lares e assim reconstruindo a tribo. O problema é que o julgamento foi tão severo que não restaram mulheres benjamitas. Além disso, no capítulo anterior, os filhos de Israel juraram que não dariam as suas filhas para se casar com os benjamitas. Eles disseram “Porém nós não lhes poderemos dar mulheres de nossas filhas, porque os filhos de Israel juraram, dizendo: Maldito aquele que der mulher aos benjamitas”. (Jz 21:18). Os anciãos de Israel deliberaram sobre o problema e sugeriram que eles poderiam contornar a decisão. Deveriam ir à festa em Siló, e ficar escondidos nas vinhas e quando as “filhas de Siló”saíssem para “dançar em rodas”, cada homem deveria pegar uma esposa para si e levá-la de volta à terra de Benjamin. Assim, os filhos de Israel poderiam dizer que eles não deram esposas aos benjamitas, mas que eles as tomaram. E é dito: “E os filhos de Benjamim o fizeram assim, e levaram mulheres conforme ao número deles, das que arrebataram das rodas que dançavam; e foram-se, e voltaram à sua herança, e reedificaram as cidades, e habitaram nelas”. (Jz 21:23). Veja que os anciãos não sugeriram que eles fossem aos Moabitas ou aos Filisteus buscar por esposas. Nem nós devemos pensar em ir buscar uma esposa no mundo. As escrituras dizem: “Não vos prendais a um jugo desigual com os infiéis” (2 Co 6:14).


Tudo isso é muito instrutivo para nós. Como pessoas reunidas ao nome do Senhor, nós, assim como a tribo de Benjamin, somos fracos e pequenos em número por conta de nosso próprio fracasso. Nós temos tido a mão de Deus sobre nós em juízo governamental. Como resultado, nós temos sido reduzidos em número repetidas vezes. Em misericórdia, Ele deixou algumas assembleias aqui e ali, espalhadas pelo país e ao redor do mundo. Nosso atual exercício deveria ser “... e confirma o que ainda permanece...” (Ap 3:2).(JND) As assembleias precisam ser urgentemente reabastecidas e, então, o que ainda resta, permanecerá. E isso pode ser feito por um jovem sendo exercitado em como ter um lar como Estéfanas que iria dar suporte ao testemunho do Senhor. Para fazer isso certamente é preciso se casar e ter uma família.

Quando os filhos de Israel encontraram os homens de Benjamin, eles estavam na “penha de Rimon” não sabendo o que fazer (Jz 20:45-48). Esses homens correspondem àqueles que hoje levam em conta apenas a soberania de Deus e, consequentemente, esperam Deus fazer alguma coisa. Semelhantemente, há homens que querem se casar e se sentam achando que Deus mandará uma jovem do céu cair em seu colo. Eles podem chamar isso “esperando em Deus”, mas há pouco ou nenhum exercício da parte deles. Eu não estou menosprezando o esperar em Deus, mas se você levar as coisas dessa forma, terminará como os 600 homens que não tiveram uma esposa. Querido irmão, existem dois lados dessa questão: há a soberania de Deus em prover uma esposa mas também há nossa responsabilidade de “encontrar” uma esposa. Queridos jovens irmãos, se você vai se casar é preciso estar exercitado a esse respeito e fazer a busca.

Os filhos de Israel foram enviados aos homens de Benjamin e os chamaram para ir até “a penha de Rimon” e fazer alguma coisa para resolver a própria situação. Se você estiver esperando Deus trazer a você uma esposa, precisar sair da “penha de Rimon”, por assim dizer! Eles foram orientados a ir à festa anual de Siló. Isso era típico dessas ocasiões, quando o povo de Deus se reunia para festejar segundo o que é mostrado na Palavra, e para fortalecer um ao outro por meio de feliz comunhão, ou seja, uma conferência bíblica, ou uma confraternização como esta em Lassen, que acontece anualmente. Estes são os lugares onde você precisa ir para encontrar uma esposa.

A espreita "nas vinhas" falaria de ficar ao abrigo (no sentido de estar quieto) em tais ocasiões, até você encontrar quem você crê que o Senhor tem para você. É preciso “se esconder”, até o momento certo. Observe, foi dito a eles para levar as mulheres que dançavam. Isso fala de alegria no Senhor. O tipo de jovem que você quer é uma que está evidentemente andando alegre com o Senhor. Lembro-me de um irmão que ao ouvir isso, disse: "OK, então estamos nos ‘arbustos’..." No dia seguinte ele veio até mim e disse: "Irmão, há uma irmã dançando nos ‘arbustos’!" Eu disse: "Oh meu caro, ela está se mostrando um pouco “atirada". Queridos, tenham cuidado com aquelas que são um pouco atiradas! Elas podem ser assim no casamento também.

Quando os homens de Benjamim alcançaram seus objetivos e conseguiram uma esposa, é dito: “E os filhos de Benjamim o fizeram assim, e levaram mulheres conforme ao número deles, das que arrebataram das rodas que dançavam; e foram-se, e voltaram à sua herança, e reedificaram as cidades, e habitaram nelas.” (Jz 21:23). Isso é uma figura do exercício de construir e dar suporte ao testemunho do Senhor na comunidade de onde viemos, tendo uma casa onde servirmos ao Senhor.

Agora vamos abrir em Salmos 19:5: “o qual, como noivo que sai dos seus aposentos, se regozija como herói, a percorrer o seu caminho.” (Revista e Atualizada) Isso não é interessante? Aqui está um homem em seu caminho para ser "um noivo”. Quando você assumir uma jovem, este deve ser o seu objetivo - ser um noivo. Não há nas escrituras algo como ter alguém apenas como namorado ou namorada. A única razão pela qual você deveria mostrar interesse em uma jovem é quando você acredita que o Senhor o esteja guiando com a finalidade de casar. Eu não estou sugerindo que a primeira vez que você converse com uma jovem você tenha a intenção de se casar com ela, mas que estará iniciando uma jornada com essa finalidade. Namoro casual não é algo visto nas Escrituras. Muitos jovens querem proceder dessa forma, mas esse é um sinal de que eles não têm confiança em Deus para declarar seu interesse de forma definitiva e, queridas jovens, essa é uma fraqueza espiritual a qual vocês devem estar atentas.

Note que este “futuro noivo” começa em “seu aposento”. Isso fala de estar diante do Senhor em oração (Mateus 6:6). Isso mostra que você não vai querer considerar este assunto levianamente. Você precisa começar aqui – no seu quarto. Esta é uma grande decisão que vai afetar toda a sua vida. Esteja muito tempo diante do Senhor sobre isso. Tem sido frequentemente dito que uma mulher pode construir ou destruir um homem. Como alguém já disse, por trás de cada homem de bem está muitas vezes uma mãe piedosa e eu acrescentaria uma boa esposa também! O casamento é uma coisa séria. Você não deve ser como um irmão (que eu não vou citar o nome) que disse: "Somos chamados para uma conferência de três dias de oração e humilhação, e de ministério da Palavra." E acrescentou: "Eu vou dizer o que significa oração e humilhação; é quando você vai a uma conferência, ora e convida uma jovem para sair, mas quando você se aproxima dela, ela o coloca para baixo! Você faz isso por três dias, e isso é uma conferência de oração e humilhação!” Duvido que ele estivesse falando sério, mas essa não é a maneira que você deve tratar este assunto tão importante em sua vida. Você não deve encontrar uma jovem, e levianamente convidá-la, sem oração e conselho.

O versículo também diz “como herói, a percorrer o seu caminho”. Esse homem estava em uma missão. Há jovens que têm interesse em certas jovens, mas eles não encontram coragem para se aproximarem delas. Eu não tenho muito respeito por esses jovens que não declaram seus objetivos. Esse homem era “um herói”; “um homem forte” que não evitou se comprometer. Você sabe que se iniciar em seu quarto (seu “aposento”) em oração, e fielmente acreditar que o Senhor o está guiando a uma jovem em particular, você terá a convicção de chamá-la para uma reunião de cânticos, ou para ir jantar, e “deixe a bola rolar”. E, querido irmão, a jovem irá respeitá-lo por isso também.

Além disso, o fato desse homem forte estar correndo implica que o namoro que leva ao casamento não é uma coisa prolongada. Com exceção de Jacó (Gn 29:18-20), cuja alma estava vivendo em um país distante por assim dizer, você verá que na Bíblia, namoro e noivado são geralmente por um curto período de tempo. A Bíblia não dá embasamento à ideia de longos namoros ou noivados Talvez, se a irmã for muito jovem, você deva esperar, mas em outra situação, será um tempo curto. Mesmo na figura da união de Cristo e a Igreja é dito que isso acontecerá em um breve tempo. Em Hebreus 10:37 está escrito: “Porque ainda um pouquinho de tempo, e o que há de vir virá, e não tardará.” Na tradução de J. N. Darby diz “bem pouco tempo...”. Isso pode não parecer assim, pois já se passaram 2.000 anos, mas isso é “um pouquinho de tempo”. Um dos motivos pelo qual a Bíblia nos encoraja a noivados curtos é pelo que encontramos em 1 Coríntios 7:1-2; quanto mais nos tornamos íntimos um do outro, maior é o perigo de pecar. Nós nunca seremos mais sábios do que a palavra de Deus. “O que confia no seu próprio coração é insensato” (Pv 28:26).

Quatro Coisas para Procurar

Vamos voltar a Gênesis 24 e olhar para quatro coisas que um irmão deve procurar em uma provável esposa. Esse capítulo, como você sabe, fala sobre Isaque recebendo uma esposa. Encontramos Abraão sendo exercitado sobre a questão de seu filho ter uma esposa, e, naturalmente, queria o melhor para ele. Qual pai não gostaria? Existem certos princípios úteis encontrados aqui que podem orientar um irmão em busca de uma esposa.

Abraão teve um servo que saiu e encontrou esta mulher para Isaque. Esse servo é um tipo do Espírito de Deus; e jovens, espero que vocês deixem que o Espírito de Deus encontre a pessoa certa para você. Ele não comete erros. O servo assume a liderança em todo este exercício; é uma figura do Espírito de Deus levando um jovem a encontrar aquela que Deus escolheu para ele.

Vamos ler os versículos em Gênesis 24: 3-4: “Para que eu te faça jurar pelo Senhor Deus dos céus e Deus da Terra, que não tomarás para meu filho mulher das filhas dos cananeus, no meio dos quais eu habito. Mas que irás à minha terra e à minha parentela, e dali tomarás mulher para meu filho Isaque”. Ele diz “minha terra” e “minha parentela”e isso fala a respeito de compatibilidade. Esta é a primeira coisa a se considerar. Abraão queria que Isaque tomasse uma mulher da mesma família da qual ele veio. Da mesma forma, você deve se casar com alguém que venha da mesma família que você é - a família de Deus. Mas mais do que isso, você deve se casar com alguém que não seja apenas um filho de Deus, mas alguém que seja compatível com você.

Tanto quanto possível, você deve buscar compatibilidade em um relacionamento conjugal; primeiramente compatibilidade cultural, porque a união de pessoas de diferentes culturas pode ser difícil. Nesse caso pode haver mais do que "problemas na carne" sobre o que já falamos. Ou idades compatíveis: O irmão Hayhoe nos aconselhava a casar com alguém mais ou menos da nossa idade. Ou, na formação religiosa: a pessoa que vem de um sistema religioso feito pelo homem na cristandade sempre tem alguma bagagem. Tem sido dito que você pode ‘tirar’ a sua esposa do "arraial", mas você nem sempre será capaz de ’tirar’ o "arraial" de sua esposa! Ou pode ser no aspecto físico, ou seja, combinar também isso; exemplo: alto/baixo. E mesmo socialmente: poderia ser um casamento difícil, em que um homem pobre se casa com uma mulher rica que está acostumada a ter muito do que ele não será capaz de prover. Essas coisas podem estressar um casamento, e isso significa que você deve buscar compatibilidade nessas áreas, tanto quanto possível.

É muito importante que você encontre alguém, uma “alma gêmea” se você prefere chamar assim, uma companhia entre aqueles que têm a “fé igualmente preciosa” como a sua (2 Pe 1:1). Eu sempre fico incomodado quando vejo alguém buscando uma mulher ou marido em outras associações cristãs ou até mesmo no mundo, porque eu sei que haverá dificuldade na questão de compatibilidade.

Esteja atendo em olhar, por assim dizer, para dentro de sua própria tribo. Essa é uma expressão em Números 36, onde foi dito aos filhos de Israel a se casarem com pessoas das suas próprias tribos. Aplicando isso a nós, como cristãos, seria nos casar com pessoas com as quais estamos em comunhão, em outras palavras, com alguém que esteja reunido somente ao nome do Senhor.
É interessante ver nesse capítulo que quando a terra foi dada por herança aos filhos de Israel, as cinco "filhas de Zelofeade", cada uma recebeu uma parte, o que era bastante incomum. Normalmente, a herança em Israel era dividida entre os filhos na família, e era esperado que as filhas se casassem com homens que tivessem a porção recebida dos pais deles. Mas, como elas não tinham irmãos, a herança do pai ficou para elas. Isso significava que os homens que se casaram com elas tiveram dupla porção – teriam a porção recebida de seus próprios pais e estas mulheres também teriam uma porção. Eu diria que isso as tornou bastante “aptas para se casar”, mesmo sendo uma delas chamada "Hogla!" Eu não tenho certeza de como ela era, mas o rapaz que se casou com ela teve uma porção dobrada. Você pode ler sobre isto em Josué 17:5-6. Houve "dez porções" que couberam a Manassés por causa das filhas de Zelofeade.

Falando aos jovens irmãos agora. Se vocês assumirem compromisso com jovens que estão reunidas ao nome do Senhor, que são espirituais e estão procurando andar com o Senhor, vocês estarão obtendo porção dobrada. Elas vão trazer para o casamento algo que aprenderam com a experiência de caminhar com o Senhor, e isso vai ser valioso. Não perca essa oportunidade. Se tiver recebido algo da herança para você mesmo, e se casar com uma jovem que tem também a porção dela, que casamento maravilhoso será! Olhe para o Senhor, Ele o guiará nessa importante decisão.

O segundo ponto está em Gn 24:10-11: “E o servo tomou dez camelos, dos camelos do seu senhor, e partiu, pois que todos os bens de seu senhor estavam em sua mão, e levantou-se e partiu para Mesopotâmia, para a cidade de Naor. E fez ajoelhar os camelos fora da cidade, junto a um poço de água, pela tarde, ao tempo que as moças saíam a tirar água.”

O que vemos aqui é que o homem foi à procura de uma jovem que viria ao "poço" para "tirar água”. O "poço", nas Escrituras, é típico de um lugar de reunião dos santos que vão até lá para buscar refrigério para suas almas vindo da água da Palavra (Ef 5:26). O que isso nos ensina, então, é que devemos estar à procura de uma jovem que venha para as reuniões com interesse na Palavra de Deus. Conferências bíblicas e ocasiões como esta em Lassen Pines são exemplos de santos reunidos no "poço" para tirar água. Estes são bons lugares para procurar uma companheira adequada. Note que aquela moça veio ao poço com um jarro; isso mostra que ela tinha a intenção de levar algo consigo. Tudo conta para uma jovem que tem um interesse sério nas coisas divinas.


Em terceiro lugar, nos versos 17 e 18 temos: “Então o servo correu-lhe ao encontro, e disse: Peço-te, deixa-me beber um pouco de água do teu cântaro. E ela disse: Bebe, meu senhor. E apressou-se e abaixou o seu cântaro sobre a sua mão e deu-lhe de beber.” Perceba que foi o homem que tomou a iniciativa. Ela não correu para ele. Foi ele quem correu para ela. Veja também que ela o chamou de “senhor”. Além disso, ela não tomou a frente e o convidou para ir à casa de seu pai, ela deixou que seu irmão fizesse isso (v. 31). Estas coisas demonstram que Rebeca era uma jovem que conhecia o lugar que Deus lhe tinha dado. Ela tinha um espírito submisso e que podia ser conduzido e isso é outra coisa que você deve buscar em uma jovem.

Eu não estou sugerindo que as jovens chamem um jovem interessado de “senhor”, mas que elas devem dar a ele o lugar de senhor ou líder no relacionamento. É verdade que o modelo, no novo testamento para uma mulher cristã, é Sara e que chamou Abraão de “senhor” (1 Pe 3:6), mas foi em seu coração que fez isso. Não foi de forma audível para ele. 


Isto indica o respeito que ela tinha por ele. A pergunta que você deve fazer é “essa jovem pode ser conduzida”? Como você irá guiar uma jovem que não é submissa? Provérbios 7 fala sobre uma mulher“ingovernável” (tradução de J.N.Darby). Um irmão mais velho disse uma vez: “Você pode casar-se com sua própria disciplina!” Eu não sei se ele estava falando da sua própria experiência ou não, mas isso certamente é uma verdade. Nós temos visto alguns casamentos cheios de tristeza, então você tem que tomar cuidado com essa questão. O mundo ensina as jovens a ser exatamente o oposto disso, mas mundanismo em uma jovem não é algo desejável.

A quarta coisa que você deve observar do que vemos em Rebeca, está nos versos 19 e 21: “E, acabando ela de lhe dar de beber, disse: Tirarei também água para os teus camelos, até que acabem de beber. E apressou-se, e despejou o seu cântaro no bebedouro, e correu outra vez ao poço para tirar água, e tirou para todos os seus camelos. E o homem estava admirado de vê-la, calando-se, para saber se o Senhor havia prosperado a sua jornada ou não.” O ponto aqui é que ela desejava dar água a todos os 10 camelos! Eu li em algum lugar que camelos bebem algo como 120 litros de água em 10-15 minutos! Nisto vemos que Rebeca era “esforçada” e isto também é algo que você deve procurar. Ela não era uma jovem preguiçosa. Ela não era uma “princesa” que queria que todas as coisas fossem feitas para ela. Existem jovens que são notadas por quererem ser servidas a todo o tempo, mas o que você deve buscar é uma jovem que queira trabalhar – uma que saiba o que é colocar pesos nos ombros.

Tito 2:5 diz que a mulher deve ser “diligente no trabalho de casa” (Tradução de J.N.Darby). Isso será especialmente necessário no seu serviço ao Senhor no suporte ao testemunho na assembleia local como um casal. Ter uma família e ter a sua casa aberta, e pessoas entrando e saindo dela, requer trabalho. Mas, se isso promove o testemunho do Senhor e incentiva os santos, é um bom trabalho.

Para resumir essas são as coisas que você deve procurar:

1) Compatibilidade

2) Interesse nas coisas divinas.

3) Submissão.

4) Diligência.

Note que o servo não estava tentando encontrar a jovem mais bonita, ou a mais experiente. Não, foram essas quatro coisas que ele procurou e são estas que você deve procurar também. "Porventura andarão dois juntos, se não estiverem de acordo?” (Am 3:3)

Discernindo o Caráter

Talvez pergunte: "Como posso discernir essas quatro coisas em uma jovem, quando eu só posso estar numa conferência ou numa reunião como esta algumas vezes por ano? É difícil saber essas coisas em breves encontros." Bem, essa é uma boa pergunta. Para respondê-la vamos ler Atos 15:40 - um princípio útil que foi dado a mim pelo Sr. Hayhoe. "E Paulo, tendo escolhido a Silas, partiu, encomendado pelos irmãos à graça de Deus." Você pode dizer: "O que isso tem a ver com este assunto?" Eu acredito que o princípio encontrado nesse versículo é amplo o suficiente para ser aplicado em uma série de situações, mesmo no companheirismo do casamento. O ponto que eu quero abordar aqui é que Paulo teve a recomendação de seus irmãos na escolha de Silas. Isso é algo que você necessita - a recomendação da jovem pelos irmãos da assembleia dela. Eles conhecem o caráter e os costumes dela melhor do que você. Alguém uma vez disse: "Você pode observar muito prestando atenção!" Como isso é verdade quando se trata de discernir o caráter de uma jovem. Você precisa usar seus olhos, mas não apenas os seus olhos - mas os olhos de irmãos fiéis, cujo discernimento seja da sua confiança.

Uma jovem pode ir para uma conferência com uma caneta e um bloco e mostrar interesse, e você diz para si mesmo: "Isso parece ser bom!" No entanto, se perguntar sobre o comportamento dela em casa e em sua assembleia local, você descobre que ela vai às reuniões esporadicamente, e é conhecida por não mostrar interesse na Palavra de Deus e que, na verdade, é a primeira vez que alguém a viu com um bloco e um lápis na mão - você faria bem em parar para pensar novamente. Quão gratos devemos ser aos irmãos fiéis de uma localidade que darão retamente as qualidades sobre alguém de suas assembleias. Você deve pedir conselhos a eles; afinal de contas, eles devem querer o melhor para você. E vice-versa, isto se aplica a um jovem que pode mostrar um interesse em uma de vocês, jovens. Descubra pelos irmãos da assembleia como ele realmente é . Eles podem lhe dar conselhos que irão lançar luz sobre o verdadeiro caráter do rapaz.

Há pelo menos três ou quatro áreas nas quais você pode olhar para discernir o caráter de uma pessoa. O irmão Hayhoe apontou várias dessas coisas para mim, e eu quero repassá-las para você. Eu me lembro dele dizendo aos jovens em sua casa de campo há 25 anos, que você deve aprender a ler os indícios do caráter de uma pessoa.

Em primeiro lugar, você pode olhar para o que é básico no comportamento e na atitude da pessoa e discernir algumas coisas. O caráter é formado por um hábito que se repete continuamente. A reputação é adquirida por um ato, mas um caráter é construído de uma camada por vez, até que a pessoa fica conhecida por algo que faz. Todos nós temos um caráter; você só precisa aprender a ler os indícios do caráter de uma pessoa.

Um exemplo que vem à mente é uma recente leitura da Bíblia em nossa reunião local. Nós estávamos em 1 Pedro 4:15, que fala sobre a "intrometida", e alguém perguntou o que era uma intrometida. Parece-se que os irmãos veem isso com um significado mais profundo do que o Espírito de Deus planejou. Vários pensamentos foram formulados. Deram inúmeras voltas em torno disso e tentaram explicar o que era uma intrometida. Finalmente, eu disse: "Eu acredito que o significado é claro; uma intrometida é uma intrometida, é uma pessoa que se ocupa da vida dos outros”, eu disse a um irmão, depois da reunião que, por vezes, um significado de algo pode ser mais bem compreendido ao se conhecer o caráter de uma pessoa. A pergunta sobre o significado de “intrometida” poderia ser simplesmente respondida, perguntando: "Você conhece a irmã tal?" Você diria: "Ah! Sim, agora eu sei o que significa!" Se você conhecesse aquela irmã saberia exatamente o que é uma intrometida. Mas eu não estou implicando com as irmãs aqui; um irmão também pode ser um intrometido.

O ponto que quero ressaltar é que todos nós temos um caráter - para o bem ou para o mal. E quando se trata deste assunto, precisamos ler os indícios do caráter de uma pessoa para saber que tipo de pessoa ela realmente é. Lembro-me de Sr. Hayhoe nos pedindo para ver algo mais profundo em uma jovem que é, digamos, agressiva; aquela que "anda a caça" dos jovens. Tudo o que se pode ver é que ela é uma jovem "que sempre se adianta" e que pode ser difícil de se lidar em um casamento. Ele nos levou a olhar para além, para as coisas mais profundas. Ele disse que essa jovem, sabendo ou não, o que ela realmente está fazendo é levantar a mão como uma bandeira, dizendo, "Eu só quero que todos vocês saibam que eu não vivo pela fé. Eu não posso confiar no Senhor para prover um marido para mim, então eu estou fazendo isso por mim mesma." Isto demonstra abertamente o caráter de uma jovem e dá uma forte indicação de qual lado o vento está realmente soprando na alma dela. Se você fosse se casar com uma pessoa assim, esse vai ser o jeito que ela vai lidar com tudo, a menos que ela cresça em sua alma. Ela nunca aprendeu a confiar no Senhor nas questões da vida, por isso, se vierem dificuldades no casamento, você pode ter certeza que ela irá lidar com a situação do mesmo modo. Não espere que ela esteja olhando para o Senhor e esperando nEle em uma dificuldade; isto não tem sido o hábito na vida dela.

Agora, queridas irmãs, eu não estou tentando transmitir a ideia de que você deva tornar mais difícil a aproximação de um jovem. Eu não quis dizer isso. Você precisa ser acessível e estar disponível. Você deve sorrir e não tornar isso difícil para o pobre rapaz. Você não deve se enclausurar entre as suas amigas e olhar para baixo quando algum menino passa. Como você espera que um rapaz rompa essa barreira? Tenha um pouco de misericórdia!

Em segundo lugar, você deve olhar para o círculo de amizade da pessoa. Quem são suas companhias? Isso definitivamente vai lhe dizer muitas coisas. Provérbios 13:20 diz: "O que anda com os sábios ficará sábio, mas o companheiro dos tolos será destruído”. Companheirismo consiste em ter agrados e desagrados mútuos. Se uma pessoa caminha com aqueles que são conhecidos por terem uma inclinação para algo, é bastante óbvio que essa pessoa tem os mesmos interesses. Será que os companheiros da pessoa são aqueles que descrevemos no Salmo 119:63, ontem? “Companheiro sou de todos os que te temem e dos que guardam os teus preceitos.” Se ele ou ela tem tais companhias, provavelmente tem os mesmos exercícios.


Em terceiro lugar, você deve olhar para a família da pessoa. O caráter familiar é algo que existe. Em Ezequiel 16:44 nos é dito: “Tal mãe, tal filha”. Podemos não gostar disso, mas todos nós somos caracterizados um pouco pela nossa origem familiar. E eu gostaria de sugerir para cada jovem casal que tenha intenção de se casar que leia um pequeno artigo de J.G.Bellett, chamado, "Caráter de Família e Religião de Família." (Ele foi reimpresso em forma de folheto, ele pode ser encontrado também na parte de trás de um livro dele chamado "Woollen & Linen”)*. É uma excelente leitura. Quando duas pessoas se casam, há dois caracteres familiares que se juntam. Quer goste ou não, você é como sua família em caráter; e quanto mais velhos ficamos mais isso parece sobressair em nós. O irmão Bellett mostra em seu livro que todos nós temos características familiares fortes e fracas, algumas positivas e outras negativas. Nosso exercício deve ser levar as boas características da família para nosso casamento e para nossa família, e julgar as características familiares ruins.

Assim você pode ver que realmente precisa discernir o caráter da pessoa. Estas são coisas que você precisa pesar diante do Senhor, porque você pode tirar sua esposa no mundo mas nem sempre tirar o mundo dela. E irmãs, vice-versa, você pode sair e “tirar” um marido no mundo, mas nem sempre tirar o mundo dele. Há caráter familiar e bagagem que o acompanha. Querida irmã, se não há jovens na reunião prestando atenção em você, a solução não é sair para conseguir um marido de algum outro lugar e trazê-lo para a reunião. Já vi muito disso. Normalmente, o rapaz não sabe o que está acontecendo. Como um irmão disse, "Parece que ele está apenas a passeio!" Esse tipo de relacionamento é um casamento "em Cristo", mas não é um casamento "no Senhor".


Há um princípio útil em Atos 15:40: “E Paulo, tendo escolhido a Silas, partiu, encomendado pelos irmãos à graça de Deus.” Aqueles da assembleia local conhecem a pessoa muito melhor do que nós, que estamos, em alguns casos, do outro lado do país. Portanto, você pode usar os olhos deles (se forem fiéis e piedosos), vá adiante sob o conselho deles. Os irmãos da assembleia da jovem, que a conhecem, são os que podem ajudá-lo a discernir o verdadeiro caráter dela. Fui ajudado pela recomendação de meus irmãos, e ajudei outros neste importante passo e você vai ser ajudado também. Provérbios 15:22 diz: “Quando não há conselhos os planos se dispersam, mas havendo muitos conselheiros eles se firmam.”

Fé para Tomar a Iniciativa

Isso me leva a outra questão: a necessidade de fé para tomar a iniciativa. O permanecer na “penha de Rimon" pode ser o mesmo que ficar em casa em sua assembleia esperando a soberania de Deus sobre este assunto; ficar esperando nas "vinhas" da “festa do Senhor em Siló" falaria de ir para os encontros especiais dos santos (ou seja, conferências), mas não fazer nada. Rapazes, vocês precisam sair da "penha", e para fora das "vinhas" para reivindicar uma vitória! Você deve estar dizendo: "Mas eu tenho medo de sair das “vinhas”; eu não quero cometer um erro nesta importante decisão da vida". Isso é compreensível, mas ficar sentado na “penha" não é a resposta! Isso não é estar agindo pela fé.

Lembre-se, o homem em Gênesis 24 que estava procurando uma esposa para Isaque disse: “Quanto a mim, estando no caminho, o SENHOR me guiou...” (Gen.24:27 - Revista e Atualizada). Isso significa que ele teve ajuda e direção do Senhor enquanto estava no caminho buscando a esposa. Ele estava agindo pela fé, e avançando passo a passo, e achou que o Senhor estava movendo-o para fazer sua jornada próspera. Deus honra a fé. Se você der um passo pela fé, você verá que o Senhor abrirá o caminho. Mas não fazer nada não é fé; e isso nos faz questionar o tipo de vida interior que você tem com o Senhor. Se tivesse a vida interior do homem do Salmo 19, que saiu de seu "aposento", você teria a convicção necessária para sair e reivindicar uma vitória. E, acredite, a jovem também irá respeitá-lo por ter esse tipo de convicção!

Se você ainda está preocupado com a possibilidade de cometer um erro, deixe-me dar um princípio que o Sr. Hayhoe nos deu e que foi uma grande ajuda para mim. Em Gênesis 20, um homem chamado "Abimeleque" viu uma mulher que ele desejava ter como sua esposa; e se aproximou dela. Mas ele não sabia que ela era a mulher de outro homem! Ele estava cometendo um grave erro, e estava indo totalmente na direção errada. Mas vemos que porque ele estava agindo na integridade do seu coração, Deus interveio e o preservou. Podemos contar com o Senhor para fazer o mesmo por nós! Jovens! Esta é sua segurança para não cair que Deus lhe dá, para o seu tímido coração! Deus honra a fé, e se você está agindo por fé na integridade do seu coração, mas dando passos errados, Ele irá intervir e protegê-lo de cometer um erro em sua vida. Que provisão de graça!

A Beleza Interior e Exterior

Temos falado predominantemente com os jovens irmãos aqui, mas agora eu gostaria de dizer algumas palavras para as irmãs. Vamos voltar para Provérbios 31:30 : “Enganosa é a beleza e vã a formosura, mas a mulher que teme ao Senhor, essa sim será louvada.” E também Salmo 45:13: “A filha do rei é toda ilustre lá dentro...” Nós temos duas belezas aqui: a exterior e a interior. A Escritura não enfatiza a beleza exterior, apesar de nós muitas vezes fazermos isso. Tenho notado que uma jovem que coloca uma grande quantidade de energia no lado exterior das coisas, muitas vezes negligencia a beleza interior da qual o Salmo 45 fala.

Não quero que você tenha a ideia de que as Escrituras ensinam que não deve se preocupar com sua aparência. Ela não incentiva uma jovem a ter uma aparência descuidada. Você deve procurar ter boa aparência. E isso pode significar coisas diferentes para pessoas diferentes mas, no fim das contas, o casamento é uma coisa natural que envolve a atração natural. Isso significa que você precisa se apresentar atraente, mas não quer dizer que, para isso, você tenha que ir para o mundo e seus adornos.

O que é mais importante é o que está dentro. Isso não é um belo versículo? "A filha do rei é toda ilustre lá dentro!"Ela tinha uma beleza interior. Uma irmã mais velha disse à minha esposa anos atrás: "Se uma jovem não for bela aos 16 anos de idade, ela não tem culpa disto; mas se não for bela aos 60 anos, a culpa será dela!" Se uma pessoa anda com o Senhor, haverá uma beleza moral que será formada nela e que emanará por todos os lados. Quando a beleza jovem desaparece com a idade, o que resta é o que a pessoa realmente é. Se a pessoa não tem andado em submissão ao Senhor, a beleza interior não será achada. A ênfase no mundo está no que é exterior, mas você deve prestar atenção ao que está no interior. A Escritura diz: "Mas o homem encoberto no coração; no incorruptível traje de um espírito manso e quieto, que é precioso diante de Deus." (1 Pedro 3:4). Isto pode não ser de valor para este mundo, ou para o cristão mundano, que é bastante superficial espiritualmente, mas é "de grande valor" para Deus! E os homens de Deus valorizam isso também.


Uma irmã não deve pensar que depois de ter-se casado poderá simplesmente deixar-se ir, e não se preocupar com a sua aparência. A Escritura fala sobre manter o "leito" "verde" (Cantares 1:16). Isso se refere a manter o relacionamento fresco. Só porque você se casa não significa que seu marido deixe de apreciar uma mulher atraente. Lembro-me de Pearl Hayhoe me dizendo que ela sempre procurou refrescar-se e colocar um vestido diferente para ficar o mais bonita possível para Gordon, quando ele chegasse em casa do escritório. Ele trabalhava em um escritório onde as mulheres se vestiam com "esmero", eram todas “deslumbrantes”. O homem que sai desse ambiente, chega em casa e encontra uma mulher que deixou de se cuidar, pode ter problemas no casamento.

Agora, algumas de vocês podem olhar para outras aqui que são de beleza impressionante e achar que elas têm uma vantagem injusta. Mas eu não sei se concordo com vocês. Eu já disse isso antes e vou dizer de novo, as jovens que são de grande beleza natural, e há muitas delas aqui, parecem atrair um certo tipo de homem que normalmente são bastante superficiais. Então, acho que uma jovem que é belíssima tem uma certa desvantagem, porque, nove em cada dez vezes, esse é o tipo de pessoa que geralmente se aproxima dela. As jovens de aparência mais comum têm uma melhor chance de conseguir um marido piedoso. Então, tenho um certo tipo de pena de vocês, queridas irmãs, que são muito bonitas, eu realmente tenho! Vocês têm que lidar com esses rapazes que geralmente se importam mais com as questões exteriores.

Agora, apenas um comentário sobre o seu cabelo. A Bíblia diz que o cabelo de uma mulher "é para ela uma glória"(1 Co 11:15 – Revista e Atualizada), mas não acho que muitas mulheres cristãs acreditam nisso. É um fato que o cabelo longo e solto é atraente para os homens. Se vocês não acreditam em mim, por que tantas mulheres do mundo e que atraem os homens têm um cabelo mais longo? Observe as mulheres que são supostamente as mais belas; olhe para aquelas que são usadas em publicidades de autopeças, etc., onde os homens são mais propensos a comprar, todas elas têm cabelos longos e soltos. Por que você acha que os publicitários fazem isso? É porque eles sabem por experiência própria que isto é atraente para os homens. Mas por mais estranho que seja, muitas mulheres cristãs não parecem saber disso. Elas querem parecer atraentes, então elas cortam o cabelo! Isso não faz sentido! Eu lhe digo, "os filhos deste mundo são mais prudentes na sua geração do que os filhos da luz" (Lucas 16:8). Ao cortar o seu cabelo, você está apenas diminuindo a sua beleza. (Eu sei que uma mulher que tem o cabelo muito fino, à medida que envelhece, não pode usá-lo muito longo, mas eu não estou falando sobre isso.) Então, se você quer aparentar o seu melhor, deixe seu cabelo solto em seus ombros. Acredite em mim, é atraente!

Eu não estou dizendo que você deve ter uma aparência mundana. Minha cunhada costumava dizer: "Você é comprada por aqueles para quem você se ‘anuncia’!" Se você se “produzir” toda de uma forma mundana, você vai atrair um rapaz mundano. Se se vestir de forma provocativa e sem modéstia, você vai atrair a carne de um homem e um homem carnal será aquele que vai se aproximar de você. Querida irmã, é isso que você quer? Não, você quer um marido que tenha alguma profundidade espiritual, um homem a quem você possa olhar com respeito. Então, cuidado quando esse tipo de jovem se aproxima e começa a prestar atenção em você, você sabe o que quero dizer, o tipo que se senta largado na cadeira e não presta muita atenção ao que está sendo falado. Talvez ele abra a primeira referência da Escritura, e, talvez a segunda, mas depois de um tempo ele não vai nem mesmo recorrer a ela. Talvez metade da reunião ele estará lendo alguma outra coisa, como aquele pequeno livro de nomes que o Sr. Porter estava distribuindo. Não riam; Eu vi isso!

Querida irmã, quando esse tipo de jovem se aproximar de você, tome cuidado, ele não está realmente interessado nas coisas do Senhor, e ele provavelmente vai passar a ser um pobre marido que não irá prover uma real liderança espiritual. Você não quer acabar com alguém que é tão carnal como um bode! Como você formará uma família piedosa com esse tipo de homem tomando a liderança no lar? Ele vai ser o tipo de pessoa que vai colocar muita ênfase sobre as coisas naturais, mas vai ficar quieto como um camundongo quando os assuntos divinos surgirem na conversa. Ele pode ter uma aparência muito legal, mas você vai pagar o preço por isso, em longo prazo. Tenho notado que há menos casamentos problemáticos quando o marido e a mulher são pessoas espirituais. Não se contente com nada menos do que um homem de Deus.

Enquanto você espera pela “pessoa certa”, um homem espiritual, os homens do mundo no trabalho ou na escola podem se aproximar de você e, é claro, você precisa rejeitar tais investidas. As Escrituras são claras quanto a isso;"Não vos prendais a um jugo desigual com os infiéis" (2 Co 6:14). Deus lhe dará a graça para fazer isto. Eu conheço uma irmã que, quando foi para a faculdade, os rapazes se aproximaram dela e queriam sair com ela, e ela recusava essas propostas. Finalmente, um deles perguntou por que ela não queria sair com ninguém. E ela explicou que ela não saía com os jovens do mundo. Ele olhou para ela e perguntou: "Se você não fizer isso com rapazes do mundo, com quem você vai sair então? Só com os de Marte?" Ele não entendia o que ela queria dizer, mas ela não tinha a intenção de acabar ficando com esse tipo de homem como seu marido.


Para encerrar, apenas mais um comentário às que estão desanimadas. Tenho certeza de que pode ser muito desanimador esperar que os jovens saiam da "penha de Rimon" e fiquem dando voltas nas "vinhas" nas conferências. Talvez você olhe em volta e pense que simplesmente não há muitos como o homem no Salmo 19, que saiu de seu aposento com convicção. (Nós certamente precisamos de mais jovens como esse. Os vimos orando na reunião de oração aqui, e isso é bom, mas eu espero que eles estejam orando em seus quartos a respeito de uma esposa também). Irmãs, lembrem-se, o diabo gostaria de fazer uso de qualquer oportunidade para desencorajá-las. Vocês não devem chegar ao ponto em que uma irmã chegou e falou: "Os homens são como lugares de estacionamento em um shopping; todos os bons estão ocupados e o resto são para deficientes!". Somente espere no Senhor.

Ele sabe, Ele vê, Ele ouve,

Nada deve eclipsar esta verdade,
Ele dá o melhor,
Para aqueles que deixam a escolha para Ele.

Um último comentário; O sr. Gill costumava nos dizer: "É melhor ser solteiro do que desejar ser!" É triste dizer que há alguns casamentos infelizes por aí. Como eu disse anteriormente: "Você pode se casar com sua disciplina!" Então, tenha cuidado como procede. Você precisa entrar em um casamento junto com o Senhor.

Minha esposa e eu não desejamos nada menos do que o melhor para cada um de vocês; nós realmente desejamos. Eu tenho dificuldade de me aproximar de todos vocês, não sou como o Jim que simplesmente vai até vocês e conversa com uma certa intimidade. Eu não falei com cada um de vocês pessoalmente, mas eu oro por vocês, e nós nos importamos com vocês. Nós queremos que vocês tenham um casamento feliz que seja para o suporte do testemunho do Senhor.


Quando vemos um relacionamento começar, nós, muitas vezes, dizemos um ao outro: "Agora é um bom casal". Porque sabemos que vocês dois estão realmente caminhando "no Senhor." Mas, às vezes, quando vemos um jovem bastante descuidado ir atrás de uma jovem bastante piedosa, nós dizemos: "Ela poderia ter feito melhor." Mas do lado do jovem, vamos dizer: "Ele fez muito bem, por buscá-la!" Então como vocês veem, estamos em ambos os lados. Nós queremos o melhor para vocês dois. Que Deus lhe dê a graça para fazer a Sua vontade.

Bruce Anstey





(Esta mensagem originalmente não contém propaganda. Alguns sistemas de envio de email ou RSS costumam adicionar mensagens publicitárias que podem não expressar a opinião do autor.)

Antes da fundação do mundo e antes dos tempos eternos - William J Hocking

Nada confunde mais a mente humana do que a concepção de eternidade antes de o mundo começar. O homem é incapaz de conhecer qualquer coisa a respeito, exceto aquilo que Deus revelou. As Escrituras são relativamente silenciosas a respeito do passado eterno. Mesmo no Novo Testamento, onde brilha a luz mais clara e completa da revelação de Deus, pouquíssimas passagens chegam tão longe no passado ao ponto de mostrar o que havia antes da fundação do mundo e do princípio dos tempos eternos. Mas essas poucas alusões devem ser apreciadas e estudadas como de valor especial, considerando que elas nos revelam um pouco dos propósitos secretos de Deus formados por Ele antes chamar à existência o universo por meio de sua Palavra onipotente, e antes que guarnecesse esse mesmo universo por meio de Sua onisciente sabedoria.

Diga "SIM!" - Mario Persona

Você já deve ter escutado pessoas dizendo que a Bíblia estaria cheia de erros, e algumas chegaram a essa conclusão pelo fato de nossa Bíblia não ser baseada no texto original, porém em sucessivas cópias de manuscritos. Então, considerando que os manuscritos que deram origem à Bíblia moderna foram copiados muitas vezes, existiria a possibilidade de alguém ter feito alterações nessas cópias. Alguns alegam que a igreja católica teria reservado os manuscritos originais, produzindo outros para introduzir neles os erros. Outra alegação é a de que a Bíblia também não seria digna de crédito por não ser um documento histórico, e sim um conjunto de lendas, ideias e costumes de uma época. Outros dizem que a Bíblia não serve para uma civilização tão moderna e bem instruída quanto a nossa. Segundo estes, ela podia ter sido muito boa para controlar as civilizações selvagens e bárbaras da antiguidade, porém em nossos dias não precisaríamos de um livro assim por estarmos mais desenvolvidos e melhor informados. Resumindo, estas e outras opiniões tentam de várias formas minar a legitimidade deste livro que conhecemos como a Palavra de Deus. Será que elas têm fundamento?

O Castigo Eterno - H. Bouter Jr.

O que as Escrituras dizem concernente à natureza do castigo eterno? Os cristãos que levam a Bíblia à sério creem na natureza perpétua do castigo eterno. Por mais horrível que isso possa parecer, o castigo no inferno não tem fim. A Bíblia também expõe claramente as características do castigo eterno. Aqueles que defendem a doutrina do Universalismo minimizam o significado do castigo eterno, tanto no sentido de sua extensão quanto de seu teor. Afirmam, por exemplo, que "...as Escrituras não ensinam um castigo literal, porém descrevem o inferno simplesmente no sentido metafórico, já que usam palavras como fogo, verme e trevas, que são apenas imagens e não deveriam ser tomadas literalmente. Onde existe fogo" — afirmam os Universalistas —, "não poderiam existir trevas simultaneamente". Todavia as Escrituras falam de três coisas para nos apresentar a natureza do castigo eterno: fogo inextinguível, verme que não morre e trevas exteriores. Vamos considerar cada uma dessas características uma a uma.

"É hora de acordar do sono" - F. B. Hole

Mais um ano da peregrinação da igreja está chegando ao fim e antes que termine temos o desejo de dizer uma palavra de advertência e um grito de despertar para todos os nossos companheiros de fé ao nosso alcance. Um inimigo muito dissimulado e sútil está entre nós. Sua presença não é sinalizada por graves pecados ou escândalos. Ele cresce e mantém a influência mesmo quando a vida religiosa exterior do cristão é conduzida com regularidade e propriedade. Seu nome é SONO.

A responsabilidade dos pais - C. H. Mackintosh

"Então Moisés e Aarão foram levados outra vez a Faraó, e ele disse-lhes: Ide, servi ao Senhor, vosso Deus. Quais são os que hão de ir? E Moisés disse: Havemos de ir com os nossos meninos, e com os nossos velhos; com os nossos filhos, e com as nossas filhas, com as nossas ovelhas, e com os nossos bois havemos de ir; porque festa ao Senhor temos. Então ele lhes disse: Seja o Senhor assim convosco, como eu vos deixarei ir a vós e a vossos filhos: olhai que há mal diante da vossa face. Não será assim: andai agora vós, varões, e servi ao Senhor; pois isso é o que pedistes. E os lançaram da face de Faraó" (Êx 10:8-11).

Emaus - Lucas 24 - Hamilton Smith

Quão variadas são as condições da alma em que os discípulos foram encontrados na manhã da ressurreição. Pedro estava desviado; Tomé cético; Maria Madalena desolada e os dois discípulos, a caminho de Emaús desapontados. Além disso, é abençoado ver com que habilidade divina e perfeita graça o Senhor se adapta a esses variados estados de alma. Ele tem uma palavra restauradora para os desviados, uma palavra reprovadora, mas encorajadora para os incrédulos, uma palavra reconfortante para o desolado e uma palavra inspiradora para tocar o coração e alcançar a consciência dos desapontados.

"Uma Coisa" - Hamilton Smith.

"Uma coisa te falta... uma só coisa é necessária... uma coisa faço" (Marcos 10:21; Lucas 10:42; Filipenses 3:13)

As Escrituras em que essas três afirmações ocorrem trazem diante de nós personagens muito diferentes. Na primeira passagem, aprendemos que "uma coisa" estava faltando ao jovem rico. No segundo, aprendemos na história de Marta e Maria que a "única coisa" que falta é a "uma coisa" necessária. Na terceira, descobrimos que a "única coisa" necessária é "uma coisa" que marcou o apóstolo Paulo. Vendo que nosso Senhor coloca ênfase sobre esta "uma coisa", certamente convém sondar nossos corações, à luz dessas Escrituras, com o desejo sincero de sermos marcados por essa "coisa única".

Não tenham medo, pequeno rebanho - John Kulp

Fraqueza e pequenez não são qualidades valorizadas pelo homem natural, e os cristãos ficam relutantes em aceitar serem percebidos como insignificantes no mundo que os rodeia. O Senhor, em sua bondade, ensinou ao apóstolo Paulo o valor de considerar-se fraco pela instrumentalidade de um "espinho na carne", para que ele não se tornasse orgulhoso e exaltado em seus pensamentos a respeito de seus privilégios e conquistas.

Mórmons creem em Jesus? - John Kulp

A resposta curta, porém incompleta à questão acima, é: depende do que você quer dizer com as palavras "crer" e "Jesus". Sem dúvida muitos mórmons acreditam da mesma forma que muitos nos dias de Jesus acreditavam em Seu nome quando viam os milagres que Ele fazia (João 2:23), e também como aconteceu com Simão, o mago, quando a pregação do reino de Deus em Samaria foi acompanhada de milagres e sinais (Atos 8:5-24). No entanto, uma crença carnal em uma construção intelectual ou religiosa, independente do quanto você fique impressionado pelo poder sobrenatural da Pessoa divina que fornece os blocos para a construção de tal conceito, não pode salvar sua alma do inferno e da ira de Deus.

Os Mandamentos de Jesus

Embora os cristãos tenham sido libertos do jugo da lei, da qual Pedro disse, “que nem nossos pais nem nós pudemos suportar” (At 15:10), as justas exigências da lei são cumpridas nos verdadeiros crentes no Senhor Jesus Cristo, “que não andamos segundo a carne, mas segundo o Espírito.” (Rm 8:4). Os cristãos não têm como sua regra de vida os Dez Mandamentos, que foram dados a Israel. Temos a Cristo como nosso exemplo; possuímos uma natureza divina que tem a capacidade de agradar a Deus, e o Espírito Santo como o poder que nos capacita a andar para o prazer de Deus neste mundo. Os Evangelhos nos mostram o que Cristo foi para Deus no mundo, e seus mandamentos nada mais eram do que a expressão formal daquilo que estava sendo vividamente expressado em si mesmo, pois ele nunca pediu a outros para fazerem coisa alguma além daquilo que ele expressava com perfeição em sua própria vida diante deles.

Postagens populares