Pesquisar este blog

Rico em que Mundo - C.Buchanan

O desejo de ser rico é provavelmente um desejo que a maioria das pessoas experimenta, e que controla seus pensamentos, seu tempo e suas energias. Vamos examinar um pouco o que os homens dizem sobre isto e também o que Deus diz sobre isto em Sua Palavra.
Um líder religioso prega abertamente que existe uma ordem bíblica para se ganhar dinheiro. Outro descaradamente diz: "Deus quer que você seja rico". E outro ainda argumenta: "Se todos nós fôssemos pobres, quem é que iria ajudar o pobre?"

Quem é Jesus - K. Heslop

O mundo hoje está cheio de confusão e engano acerca de Jesus; quem Ele é, o que fez, e o que ensinou. Parte disso se deve à ignorância, mas muito é resultado da obra de Satanás para manter os homens afastados de Deus. Apesar de ser Jesus o fundamento da fé cristã, nem sempre temos uma compreensão clara de Quem Ele é! Dizer que Jesus é Deus santo, e perfeito Homem é verdade, mas parece ser uma contradição. Nossa mente finita tem dificuldades para compreender o conceito de um Homem divino. Mas em Jesus vemos tanto a divindade como a perfeita humanidade.

Nao vos comove isto- R. Erisman

"Não vos comove isto a todos vós que passais pelo caminho? Atendei, e vede, se há dor como a minha dor, que veio sobre mim, com que o Senhor me afligiu, no dia do furor da Sua ira." (Lm 1:12).

Estas são palavras fortes,com certeza, que atingem o mais profundo do coração enquanto buscam por uma resposta à questão que foi levantada. Foi Jeremias, o profeta, quem primeiro pronunciou estas palavras há uns 2.500 anos. Elas pareciam estar focalizadas em um tumultuoso agrupamento de pessoas fora da cidade de Jerusalém, por volta do ano 30 d.C.

Escolhas - Christian Treasury - Set-96

De um certo modo, este é um título meio enganador, mas expressa o que a maioria das pessoas considera como sendo uma descrição de suas vidas. As pessoas têm a tendência de sentir que a vida é uma longa sucessão de escolhas difíceis. Certamente a vida está cheia de pontos de decisão, encruzilhadas, desvios do caminho. Todavia, o que as Escrituras nos ensinam, como seguidores de Cristo, é que não existe realmente qualquer escolha para nós em qualquer uma das encruzilhadas desta vida. O único caminho para o crente é seguira Cristo aonde Ele guiar, sempre em obediência à Sua Palavra.

Por Que Nos Reunimos – R. Gill

Palestra proferida por: R. Gill em uma conferência em Chicago, Estados Unidos, no ano de 1926.
Tenho o desejo, amados amigos cristãos, de tratar de um certo assunto que já conquistou a atenção de alguns de nós em uma ou duas reuniões recente mente, e gostaria de pedira compreensão de alguém aqui que porventura já nos tenha ouvido tratar do mesmo assunto. Há aqui outras pessoas para as quais o assunto é novo e creio ter a mente do Senhor ao voltar a tratar disso.

A Bandeira do Cristão - C.H.Mackintosh

"O que é? É uma doutrina? Não. É um sistema teológico? Não. É uma organização eclesiástica? Não. É um sistema de ordenações, ritos ou cerimônias? Nada disso. Os guerreiros de Deus não lutam sob tais bandeiras. Qual é a bandeira da haste militante de Deus? Escutemos e recordemos: É CRISTO!" - C.H.M.

MORTOS!

Rom_6:11 "Assim também vós considerai-vos como mortos para o pecado, mas vivos para Deus em Cristo Jesus nosso Senhor".

O soldado de Cristo é eficaz quando cingido das realidades divinas e preparado em seu coração pela Palavra de Deus quanto ao que é realmente bênção. Sua energia para a batalha está no fato de ele estar no Espírito naquilo que diz respeito à verdade. Os poderes das trevas e as hostes espirituais da maldade nos lugares celestiais são os inimigos, e por permanecermos na fé de termos sido abençoados com todas as bênçãos espirituais nos lugares celestiais em Cristo, combatemos o inimigo no campo que ele ocupa. Afrouxar o cinto da verdade é dar a Satanás uma vantagem. Não abra mão sequer de uma única verdade das que Deus nos tem dado, pois quando falhamos em entregar à morte nossos próprios desejos acabamos nos rendendo em nossa força espiritual e nossa coragem irá falhar" - H. F. Whitherby

Corpo e Mente - F. B. Hole

“Mas em nada tenho a minha vida por preciosa, contanto que cumpra com alegria a minha carreira, e o ministério que recebi do Senhor Jesus, para dar testemunho do evangelho da graça de Deus. E agora, na verdade, sei que todos vós, por quem passei pregando o reino de Deus, não vereis mais o meu rosto. Portanto, no dia de hoje, vos protesto que estou limpo do sangue de todos. Porque nunca deixei de vos anunciar todo o conselho de Deus”. Atos 20:24-27

A Mesa do Senhor - D.Rule

Desejo apresentar a você um importante princípio de como Deus trata conosco de forma a "conhecermos" a Sua mente e vontade. Deus diz: "Se alguém quiser fazer a vontade dEle, conhecerá a respeito da doutrina, se ela é de Deus ou se falo por Mim mesmo" (Jo 7:17 - V Almeida Atualizada). Se meu desejo de conhecer a verdade é apenas para satisfazer minha curiosidade, Deus não promete que eu algum dia vá conhecê-la. Em 2 Timóteo 3 temos uma descrição do dia em que vivemos e nos fala de alguns "tendo aparência de piedade, mas negando a eficácia dela". Tais são os que "aprendem sempre, e nunca podem chegar ao conhecimento da verdade". Para com Deus "conhecer" está ligado a "praticar". A promessa de Deus é que eu conhecerei a verdade se estiver querendo praticá-la. Portanto a nossa necessidade de conhecer deve estar ligada ao desejo de andarmos na verdade que conhecemos. Deus conhece nosso coração e trata conosco de acordo com o que Ele vê ali. (Em Sua bondade Ele sabe como nos fazer desejosos de aceitar e praticar Sua vontade.)

O que é o arraial? J.B.Dunlop

Hebreus 13:12-13
No último capítulo da epístola aos Hebreus o Espírito de Deus, referindo-se aos "corpos dos animais, cujo sangue é, pelo pecado, trazido pelo sumo sacerdote para o santuário, são queimados fora do arraial", segue dizendo: "Por isso também Jesus, para santificar o povo pelo Seu próprio sangue, padeceu fora da porta. Saiamos, pois, a Ele fora do arraial, levando o Seu vitupério" (Hb 13:11-13).

Cristo, Nossa Vida - E.Dennett

Quando o Senhor Jesus veio ao mundo, trevas cobriam a Terra, e as pessoas estavam em densa escuridão; sim, a noite de morte prevalecia por todo o globo terrestre. Era, usando a linguagem de Jó ao falar da morte, uma terra de escuridão e sombra de morte; "terra escuríssima, como a própria escuridão; terra da sombra da morte e sem ordem alguma, e onde a luz é como a escuridão" (Jó 10:21-22). "Portanto, como por um homem entrou o pecado no mundo, e pelo pecado a morte, assim também a morte passou a todos os homens por isso que todos pecaram" (Rm 5:12). Portanto, não havia nem sequer um raio de luz para aliviar a completa escuridão do estado e da condição do homem. E não era só isso, mas Satanás também reinava; pois pelo pecado do homem, Satanás adquiriu direitos sobre ele, e o manteve assim em completa submissão à sua vontade. Satanás tornou-se, portanto, o príncipe deste mundo (Jo 12:31). "Mas, vindo a plenitude dos tempos, Deus enviou Seu Filho, nascido de mulher, nascido sob a lei" (Gl 4:4). "No princípio era o Verbo, e o Verbo estava com Deus, e o Verbo era Deus. Ele estava no princípio com Deus. Todas as coisas foram feitas por Ele, e sem Ele nada do que foi feito se fez. NEle estava a vida, e a vida era a luz dos homens. E a luz resplandece nas trevas, e as trevas não a compreenderam" (Jo 1:1-5).

Caráter de Família e Religião de Família - J.G.Bellet

Caráter de Família
Gênesis 11:28
Como sabemos, houve o dia da visitação à casa de Terá. A família de Sem havia se corrompido bastante e nos dias de Terá, o sexto ou sétimo depois de Sem, eles estavam servindo a falsos deuses. Mas o poder do Espírito e a chamada do Deus da glória visitou os ouvidos e o coração de Abrão, filho de Terá, e o separou daquela corrupção.

Eu era cego - Mario. Persona

Todos aqueles que já conhecem ao Senhor Jesus como Salvador se identificam com o cego de nascença de João 9, pelo fato de terem sido também libertados das trevas. Mas há nesta passagem alguns detalhes que revelam ter ela uma aplicação mais ampla e de grande significado para os dias em que vivemos.

Sinais e Maravilhas - F. B. Hole

Nos últimos anos um grande número de cristãos sinceros e devotos têm sido levados pela ocupação com certas práticas e manifestações, as quais eles reivindicam ser um reavivamento daqueles dons espirituais divinos e milagrosos que eram bastante comuns nos tempos apostólicos. Em 1 Coríntios 12:7-10 temos uma lista desses dons, mas as reivindicações de que esteja ocorrendo uma renovação ou reavivamento moderno ficam centralizadas principalmente em apenas dois deles, o "dom" de curar e o "dom" de línguas.

Quem tem o Espírito Santo? G.C.Willis

Nos dias de hoje há muitos cristãos verdadeiros que não têm certeza se possuem ou não o Espírito Santo. Muitos estão orando para que o Espírito lhes seja dado. Para isso há um teste fundamentado nas Escrituras: Se um homem, convencido de pecado e crendo no Senhor Jesus como seu único Salvador, O qual consumou a obra da salvação, puder verdadeiramente dizer de todo o coração, "Aba, Pai", essa pessoa possui o Espírito Santo. "Porque não recebestes o espírito de escravidão para outra vez estardes em temor [que a lei dá], mas recebestes o espírito de adoção de filhos, pelo qual clamamos: Aba, Pai" (Rm 8:15). E também, "Porque sois filhos, Deus enviou aos nossos corações o Espírito de Seu Filho, que clama: Aba, Pai" (Gl 4:6).

O Amigo e as Coisas que nunca Mudam - Gordon Hayhoe

"O Seu falar é muitíssimo suave; sim, Ele é totalmente desejável. Tal é o meu Amado, e tal o meu Amigo, ó filhas de Jerusalém." (Ct 5:16)
"Tu, Senhor, no princípio fundaste a Terra, e os céus são obra das Tuas mãos: eles perecerão, mas Tu permanecerás; e todos eles, como roupa, envelhecerão, e como um manto os enrolarás, e como um vestido se mudarão, mas Tu és o mesmo, e os Teus anos não acabarão." (Hb 1:10-12)
"Porque Eu, o Senhor, não mudo; por isso vós, ó filhos de Jacó, não sereis consumidos." (Ml 3:6)
"Jesus Cristo é o mesmo ontem, e hoje, e eternamente." (Hb 13:8)

Saiamos a Ele - C.H.Mackintosh

"Por isso também Jesus, para santificar o povo pelo Seu próprio sangue, padeceu fora da porta. Saiamos pois a Ele fora do arraial, levando o Seu vitupério" (Hb 13:12-13).

O Tempo nos Quatro Evangelhos - P.Wilson

As horas do julgamento e crucificação do Senhor Jesus e os métodos de se contar o tempo são bem interessantes. No Evangelho de João é utilizada a contagem romana do tempo, que é a mesma empregada hoje, porém nos três outros Evangelhos, e também em Atos, o tempo é contado segundo o modo judeu. É calculado do nascer do sol ao poente, e do poente ao nascer do sol.

SAMUEL - C.Stanley


Quem era Samuel? De que tribo de Israel era seu pai Elcana? Estas perguntas foram feitas ao autor alguns dias atrás. Sim, são perguntas importantes, ainda mais por ser a história de Samuel tão cheia de ensino exatamente para a época em que vivemos.

O "Dinheiro Eletrônico" e as Riquezas Eternas - C. Buchanan

O Dinheiro Eletrônico, ou E-money, está hoje em voga e tem sido usado por décadas. Trilhões de dólares em transações bancárias, negócios e conversão de moeda vão de um lugar para outro quase à velocidade da luz. Novos termos como dinheiro cibernético, cybercash ou cybermoney e dinheiro digital, ou digital cash, são usados hoje e realmente substituem o papel moeda.

O Evangelho da Prosperidade - C.Buchanan

Davi escreveu: "Pois eu tinha inveja dos soberbos, ao ver a prosperidade dos ímpios... até que entrei no santuário de Deus: então entendi eu o fim deles" (Sl 73:3,17). Existem pessoas que estão pregando hoje o evangelho da prosperidade material. Outro que costuma ser chamado de evangelho, é o "evangelho social". A Palavra de Deus é categoricamente contra tais coisas. Aos Gálatas e a nós foi escrito: "Maravilho-me de que tão depressa passásseis dAquele que vos chamou à graça de Cristo para outro evangelho. O qual não é outro, mas há alguns que vos inquietam e querem transtornar o evangelho de Cristo" (Gl 1:6-7).

O Que é Graça? C.Stanley

Lembro-me de uma pessoa que dizia não gostar da palavra "graça". Segundo ela, a palavra "amor" tinha o mesmo significado e era muito melhor. Trata-se de um engano; a graça vai muito além do amor. O homem ama aquilo que, de um modo ou de outro, ele considera digno de ser amado, e pensa que Deus faz o mesmo consigo. Por isso costuma dizer: "Algum dia devo voltar-me a Deus e procurar ser digno do Seu amor, e então Ele me amará". Ora, a graça de Deus é exatamente o oposto desse pensamento humano. Que eu saiba, não existe nada no mundo que se compare a ela.

As Silenciosas Conquistas de Deus - Verdades Vivas

"E respondeu e me falou, dizendo: Esta é a palavra do Senhor a Zorobabel, dizendo: Não por força nem por violência, mas pelo Meu Espírito, diz o Senhor dos Exércitos" (Zacarias 4.6).
As silenciosas ações de Deus assemelham-se a Ele próprio: são profundas, silenciosas, parecem vagarosas e cheias de voltas e precisam ser perscrutadas para poderem ser apreciadas.

A Igreja - A.H.Rule

A Palavra de Deus mostra claramente que havia, para o ministério, dons de diversos tipos, mas nunca insinua que a Igreja concedesse tais dons, ou que ela dava a autoridade necessária para que fossem usados. Os dons são divinamente concedidos, e a autoridade flui diretamente da Palavra de Deus. "Ora há diversidade de dons, mas o Espírito é o mesmo. E há diversidade de ministérios, mas o Senhor é o mesmo" (1 Co 12:4-5). Aqui vemos que o Espírito distribui os dons, e que o Senhor dirige os serviços. As nomeações feitas pelo homem e a vontade do homem são coisas que permanecem totalmente de fora.

Pensando em Cristo - G.V.Wigram

Quantas vezes você pensou em Cristo hoje? Nunca andaremos separados do mundo se Cristo não estiver em nossa alma. Porventura seu andar hoje brotou do fato de você estar consciente de Cristo como uma Pessoa viva no céu?

Uma Avaliação Meramente Legalista - J.N.Darby

Devemos nos precaver da mera recusa de ocuparmos um lugar neste mundo, só por sabermos que isto é errado, em virtude de sermos seguidores dAquele que foi rejeitado. Uma avaliação meramente legalista do que é certo nunca pode durar. Uma coisa pode ser bem certa, mas pode não haver estabilidade nela por não existir poder para subjugar a carne em meramente fazer o que se sabe ser certo. Com a lei havia o senso de obrigação, mas a lei não colocava diante de nós um objeto para atrair nosso coração; não nos trazia Deus e nem nos levava a Deus. Aquele sentimento duradouro de que nada somos e que Deus é tudo.

O CAMINHO DE DEUS e Como Encontrá-lo - C.H.Mackintosh

(Leia Jó 28 e Lucas 11:34-36)

"Essa vereda a ignora a ave de rapina, e não a viram os olhos da gralha. Nunca a pisaram filhos de animais altivos, nem o feroz leão passou por ela" (Jó 28:7-8)
Que indizível misericórdia, para alguém que realmente deseja andar com Deus, saber que há um caminho onde andar! Deus preparou um caminho para Seus redimidos, no qual eles podem, resolutos, andar com toda a certeza e tranquilidade possíveis. É um privilégio que pertence a todo filho de Deus, e a todo servo de Cristo, ter tanta certeza de que se encontra no caminho de Deus, quanto de que sua alma está salva.

Tribulação... e Então o Triunfo! C.Buchanan

Muitos crentes hoje sabem algo do período, chamado tribulação, que virá sobre este mundo. Deus tem, por princípio, nunca julgar sem antes avisar.

Sempre pronto para Testemunhar - P. Wilson

EM TEMPO E FORA DE TEMPO

Conversei, certa ocasião, com o diretor de uma funerária em uma grande cidade, o qual era cristão. Encontrei-o regozijando nas grandes coisas que Deus havia feito para ele, e vi que estava sempre pronto para responder àqueles que pudessem questioná-lo acerca de sua esperança em Cristo. Na verdade, ele parecia estar bem disposto a falar por seu Senhor, sempre que surgisse uma oportunidade.

Uzias - Christian Treasury, Março 91

Conforme aprendemos em 2 Crônicas 26:5, Uzias "deu-se a buscar a Deus nos dias de Zacarias, entendido nas visões de Deus: e nos dias em que buscou ao Senhor, Deus o fez prosperar". Ele saiu a guerrear e o Senhor o ajudou.

O Veneno e o Antídoto - C.Buchanan

Com frequência temos escutado que o cristão tem três inimigos: Satanás, o ego e o mundo. Em nossos dias parece que o mundo tem sido mais influente como inimigo do que jamais o foi. No tempo de vida de muitos de nós temos presenciado um tremendo desenvolvimento nas coisas que fascinam e atraem. Ao mesmo tempo tem havido uma horrível regressão no ensino e prática do que é bom e correto. Deste modo, o mundo experimenta e prova o crente que é verdadeiro. Mas, por outro lado, aquilo que parece inofensivo, como o fruto proibido pareceu a Eva, nos atrai. E além disso a impiedade impera. Aprendemos de 1 João 5:19 que "todo o mundo está no maligno".

Cristo Nosso Pastor - Edward Dennett

Cabe aqui perguntarmos se esta relação nosso bendito Senhor tem com o Seu povo ocupa o seu devido lugar em nossas almas. É bem verdade que trata-se de algo encontrado com muito maior frequência nas Escrituras do Antigo Testamento, mas seria uma grande perda supormos que se trate de algo relacionado apenas com os judeus. Na verdade, João (capítulo 10) expressamente proíbe que cheguemos a tal conclusão, pois o Senhor claramente afirma: "Ainda tenho outras ovelhas que não são deste aprisco; também me convém agregar estas, e elas ouvirão a minha voz, e haverá um rebanho" (e não "um aprisco") "e um Pastor" (v. 16). Também Pedro, ao escrever aos crentes desta dispensação, diz: "Porque éreis como ovelhas desgarradas: mas agora tendes voltado ao Pastor e Bispo das vossas almas" (1 Pe 2:25); e também, "Apascentai o rebanho de Deus, que está entre vós, tendo cuidado dele, não por força, mas voluntariamente: nem por torpe ganância, mas de ânimo pronto; nem como tendo domínio sobre a herança de Deus, mas servindo de exemplo ao rebanho. E, quando aparecer o Sumo Pastor, alcançareis a incorruptível coroa de glória" (1 Pd 5:2-4). Paulo usa a mesma figura, quando dirige-se aos anciãos da Igreja em Éfeso. "Olhai pois", diz ele, "por vós, e por todo o rebanho sobre que o Espírito Santo vos constituiu bispos, para apascentardes a Igreja de Deus..." (At 20:28).

Preocupacao com meu irmao

"O amor cobre todas as transgressões" (Pv. 10:12). Que maravilhosa declaração é esta! Implica em algo muito prático e ativo, nada teórico, pois é a marca característica pela qual os cristãos são conhecidos. "Nisto todos conhecerão que sois meus discípulos, se vos amardes uns aos outros" (Jo. 13:35). Amor é a diferença entre religião e Cristianismo, entre sinceridade e o que é abstrato e superficial. É o único motivo para um serviço aceitável ao Senhor.

Esperança Com Autoridade Divina... E Sem Ela

Entende-se por conversão uma alma que se volta para Deus, sendo levada a isso pela obra do Espírito. Associado a tudo isso há um senso da bondade de Deus que atrai; e um senso de nossa pecaminosidade que convence. As palavras do filho pródigo, "Levantar-me-ei, e irei ter com meu pai", mostravam a atração; "Pai, pequei", revelavam a convicção (Lc 15:18).

Nosso Redentor

É somente pela reflexão acerca de cada aspecto em que Cristo nos é apresentado nas Escrituras, que somos capacitados a compreender, em qualquer medida, o que Ele é por nós e para nós, bem como a plenitude da verdade de nossa salvação. Já contemplamos Cristo como nosso Salvador, e a alguns pode parecer como se este título incluísse também o que Ele é como nosso Redentor; mas iremos descobrir, à medida que delineamos o assunto, que somos guiados a contemplar novos aspectos, tanto de Sua obra como de nossa condição.

Como Aconteceu Nos Dias De Ló

"Como também da mesma maneira aconteceu nos dias de Ló: comiam, bebiam, compravam, vendiam, plantavam e edificavam; mas no dia em que Ló saiu de Sodoma choveu do céu fogo e enxofre, e os consumiu a todos. Assim será no dia em que o Filho do homem se há de manifestar." (Lc 17:28-30)

"Onde Está o Sábio? Onde Está o Escriba?"

1 Coríntios 1:20

Leia Lucas 2:1-20

Todo entendimento nas coisas de Deus vem de Sua revelação, e não dos raciocínios dos homens. Portanto, aquele que é simples vai mais longe no entendimento das coisas espirituais do que aquele que é sábio e entendido neste mundo. Feliz aquele que captou assim a intenção de Deus de modo a poder estar identificado com ela, e não querer nada mais senão Deus! Foi assim no caso dos pastores em Lucas 2. Eles pouco compreendiam da grande intenção de Deus, mas foi a eles, e não aos entendidos, que Deus Se revelou. Nossa verdadeira sabedoria vem através do que Deus revela, mas nunca nos apoderamos das mais plenas bênçãos de Deus enquanto não nos encontramos na condição em que a carne é subjugada - digo isto em relação ao andar. Não podemos entrar no mais simples gozo e poder de Deus até que aceitemos a posição de humildade e humilhação, até que o coração seja esvaziado daquilo que é contrário à humildade de Cristo. Aqueles pastores estavam no tranquilo cumprimento de seu humilde dever, e é este o lugar de bênção. Qualquer um que esteja mantendo relações com o mundo não está andando com Deus. Da manjedoura até a cruz, tudo em Cristo era simples obediência. Quão diferente deste perfeito exemplo foi Teudas, que se gloriava de ser alguém! (At 5:36). Cristo fez tudo da maneira de Deus, e devemos aprender a agir assim também.

"Não estejais inquietos por coisa alguma" - Hamilton.Smith

Filipenses 4:6
A exortação do apóstolo aqui tem em vista as circunstâncias desta vida. Ele não desconhece que, em um mundo de tristezas e enfermidades, de necessidades e preocupações, haverá tribulações para se enfrentar e fardos para se carregar; mas, não deveríamos torturar nosso pobre coração com coisas assim. O próprio apóstolo escreve de uma prisão, e havia sofrido necessidades, havia tido um companheiro e colaborador doente à beira da morte; mas nessas circunstâncias tão tristes ele foi elevado acima de todo cuidado e ansiedade, e por isso podia dizer a outros: "Não estejais inquietos por coisa alguma".

Na Casa Do Fariseu

Lucas 7:36-50

Esta cena na casa do fariseu é de grande valor moral. Ela nos mostra que nada além de nossos pecados pode, real e verdadeiramente, nos prover acesso a Jesus. A admiração por Ele como Mestre, ou como Alguém que faz milagres, nunca fará com que nos encontremos com Ele da maneira que Deus quer. É só o pecado e a consciência deste que pode nos levar verdadeiramente ao Filho de Deus; pois Ele é um Salvador, e como tal nos foi enviado pelo Deus bendito. Nicodemos foi encontrar-se com Ele vendo-O como um fazedor de obras poderosas; mas Nicodemos deve nascer de novo, deve receber dEle uma outra imagem, antes de poder aproximar-se dEle corretamente.

Pedras Grandes e Preciosas - C.Stanley

"E ordenou cortadores de pedras, para que lavrassem pedras de cantaria, para edificar a casa de Deus." (1 Cr 22:2).

Desnecessário é dizer que a construção do Templo de Salomão é um dos mais interessantes estudos da antiguidade; e quando aquele edifício no Monte Moriá é visto como o tipo do atual edifício celestial de Deus, o assunto torna-se infinitamente mais interessante.

Cristianismo Vivo E Verdadeiro - J.N.Darby

A vida do apóstolo Paulo, toda a sua conduta, confirmava o testemunho que ele levava; fazia parte dele. Consequentemente (e é o que sempre acontece), o fruto do seu trabalho trazia a marca daquele que trabalhava: o cristianismo dos tessalonicenses lembrava o de Paulo. O andar de Paulo assemelhava-se ao andar do próprio Senhor, a Quem Paulo seguia tão de perto. Era "em muita aflição", pois o inimigo não podia suportar um testemunho tão claro, e Deus garantia Sua graça para um testemunho assim, e "com gozo no Espírito Santo".

Cura - o que dizem as Escrituras? H. E. Hayhoe

À medida que o fim se aproxima, o poder do inimigo está aumentando, e ele procura, com frequência, usá-lo por meio de imitações. Somos alertados disto em 2 Timóteo 3:8, onde nos é mostrado como os mágicos do Egito, sob o poder de Satanás, enfrentaram Moisés por meio de imitações. É este o caráter dos últimos dias.O cristão, que será guardado no dia mau, deve aprender a importância de se fazer frente a todos os ataques do inimigo, usando para isso a Palavra de Deus. (Sl 17:4). 

Há, ao nosso redor, muito ensino falso a respeito de cura, e muitos queridos filhos de Deus têm sido pegos nesta rede, que os leva a ficarem surpresos por não terem sido curados. Estas linhas foram escritas para trazer à luz o ensino da Palavra de Deus acerca do assunto, de modo que possamos ser guardados de fazer falsas aclamações. Que possamos, assim como os homens de Issacar da antiguidade, compreender os tempos (1 Cr 12:32). Logo estaremos com Cristo e seremos como Ele nas alturas, possuindo então corpos glorificados como o que Ele possui. Que possamos, enquanto isso, aprender submissão a todos os Seus desígnios para conosco, mesmo na enfermidade. Cura - O que dizem as Escrituras? É bom lembrar que a doença e a morte entraram no mundo pelo pecado (Rm 5.12).

O Centro de Todo Descanso

O próprio Deus é o único centro de todo descanso. Em toda a criação há movimento. A crosta terrestre sofre mudanças - enquanto umas ilhas são formadas, outras desaparecem sob as ondas. Terremotos atiram ao solo edifícios antes considerados sólidos. Erupções vulcânicas cobrem de destruição populações inteiras. Primavera, verão, outono e inverno se sucedem propiciando plantios e colheitas. Os rios correm para o mar, e a evaporação leva suas águas de volta aos picos das montanhas. Crianças nascem, crescem, atingem a idade adulta e então suas vidas começam a declinar, até que morrem. Outras vêm para seguir o mesmo curso. Todas as coisas estão cheias de movimento; onde encontraremos descanso?

O Crente e as Circunstâncias

O apóstolo Paulo, depois de haver nos mostrado que sendo "justificados pela fé, temos paz com Deus, por nosso Senhor Jesus Cristo", e que por Ele "temos entrada pela fé a esta graça, na qual estamos firmes, e nos gloriamos na esperança da glória de Deus", segue dizendo que temos "não somente isto, mas também nos gloriamos nas tribulações; sabendo que a tribulação produz a paciência, e a paciência a experiência, e a experiência a esperança. E a esperança não traz confusão, porquanto o amor de Deus está derramado em nossos corações pelo Espírito Santo que nos foi dado" (Rm 5:1-5).

"Considerai a Jesus Cristo" 2

Hebreus 3:1

"Medita estas coisas." (1 Tm 4:15).
Quando andava por um campo, em meio a uma plantação de aveia, encontrei um artista pintando um quadro. Ele tinha acabado de começar e, com grande surpresa, reparei que, ao invés de usar o amarelo para pintar as folhas de aveia, e o cinza para as sombras, estava usando azul, verde e vermelho, apesar de eu não enxergar nem um pouco daquelas cores na plantação.

Ordem

"Não vos ensina a mesma natureza...?" (1 Co 11:14). Este versículo tem uma aplicação bastante ampla. Deus, em Sua sabedoria, colocou grandes diferenças, físicas, mentais e emocionais, na elaboração do homem e da mulher. Ele tornou claro que desejou fazê-los distintos, porém para que se complementassem.

Os Sofrimentos e as Glórias De Cristo no Salmo 22 - J. N. Darby

A suma da verdade ensinada neste salmo é que "louvarão ao Senhor os que O buscam" (Sl 22:26). Trata-se do fruto da pura graça, expressa de uma maneira notável e bem diferente de uma esperança ou promessa. Com toda a certeza, o fato de que o Santo devesse ser desamparado por Deus não se trata de uma promessa, e é esta a base que é posta aqui para o louvor.

O Objeto da Adoração - F. Lavington

Deus nosso Pai é Aquele que nos foi revelado como o Objeto da adoração; Aquele a Quem nossa adoração é apresentada. Isto é muito importante, pois demonstra a verdade de que fomos tornados adequados para ocupar nosso lugar diante dEle. O lugar que Deus nos deu não é um lugar qualquer dentro das portas. O precioso sangue de Cristo nos deu a confiança, não apenas para ocuparmos nosso lugar diante dEle agora, mas para sabermos que nossa adequação para a herança é na luz de Sua santa presença (Cl 1.12). Eu e você, tendo sido purificados pelo precioso sangue de Cristo, estamos tão prontos para ocupar nosso lugar agora mesmo na própria presença de Deus, como sempre estivemos desde que cremos.

"Reunidos em Meu Nome" - C. Wolston

Mateus 18:20

É impossível superestimarmos a importância e bênção do lugar que, em Mateus 18:20, foi dado pelo Senhor ao Seu povo durante a atual dispensação. Mas para podermos compreender sua verdadeira importância e extensão, é necessário entendermos as circunstâncias, na própria história do Senhor, que O levaram a tal ponto, e a posição que Ele próprio ocupa agora, exaltado à destra de Deus no céu.

As Três Manifestações de Cristo


Cristo Se Manifestou, Comparece e Aparecerá
"Porque Cristo não entrou num santuário feito por mãos, figura do verdadeiro, porém no mesmo céu, para agora COMPARECER por nós perante a face de Deus; Nem também para a Si mesmo Se oferecer muitas vezes, como o sumo sacerdote cada ano entra no santuário com sangue alheio; doutra maneira necessário Lhe fora padecer muitas vezes desde a fundação do mundo: mas agora na consumação dos séculos uma vez Se MANIFESTOU para aniquilar o pecado pelo sacrifício de Si mesmo. E, como aos homens está ordenado morrerem uma vez, vindo depois disso o juízo, assim também Cristo, oferecendo-Se uma vez, para tirar os pecados de muitos, APARECERÁ segunda vez, sem pecado, aos que O esperam para a salvação." (Hebreus 9:24-28).

AUXILIO OU EMPECILHO? O que e' voce?

Dentre os muitos favores que nos são concedidos por nosso bondoso Senhor, sem dúvida um dos mais elevados é o privilegio de estarmos presentes na assembleia de Seu amado povo. Podemos assegurar com total confiança que todo aquele que verdadeiramente ama a Cristo se alegará por estar onde Ele prometeu estar, e isto independente do caráter da reunião -- seja para estar à mesa do Senhor para recordar Sua morte, seja para ocupar-se com a Palavra de Deus e conhecer a Sua vontade, ou acercar-se do trono da graça para contar a Ele de nossas necessidades e obter provisão de Seu tesouro inesgotável. Todo coração devoto desejará estar ali, e podemos descansar na certeza de que qualquer pessoa que deliberadamente negligencie a assembleia encontra-se em uma condição perigosa de morte e frieza de alma. Negligenciar a assembleia de vontade própria é o primeiro passo na ladeira que leva ao total abandono de Cristo e de Seus preciosos interesses (Hb 10:25-27).

A Opinião Pública

A opinião pública é uma das duas coisas que controlam o homem natural. A outra é a sua própria concupiscência. Na sua epístola, Tiago nos fala claramente da concupiscência e do seu resultado logo no primeiro capítulo. "Ninguém, sendo tentado, diga: De Deus sou tentado; porque Deus não pode ser tentado pelo mal, e a ninguém tenta. Mas cada um é tentado, quando atraído e engodado pela sua própria concupiscência. Depois, havendo a concupiscência concebido, dá à luz o pecado; e o pecado, sendo consumado, gera a morte." (Tg 1:13-15).

Jugo Desigual

"Não vos prendais a um jugo desigual com os infiéis; porque, que sociedade tem a justiça com a injustiça? E que comunhão tem a luz com as trevas?" (2 Co 6:14).

"Guarda O Que Tens" Ap 3.11

É possível que os irmãos mais jovens em nossas assembléias tenham um privilégio e uma responsabilidade maiores do que nas épocas passadas. Nunca antes foi tão difícil permanecer na verdade, e será necessário uma grande energia espiritual e graça do Senhor para ser capaz de fazê-lo.

Reunião de Oração

Enquanto consideramos o assunto da reunião de oração, vamos prestar atenção em Atos 2:42: "E perseveravam na doutrina dos apóstolos, e na comunhão, e no partir do pão, e nas orações". Creio que trata-se, aqui, da oração coletiva, oração em assembléia. Outro exemplo é encontrado no capítulo 12, versículo 5: "Pedro, pois, era guardado na prisão: mas a igreja fazia contínua oração por ele a Deus". Temos aqui a oração em assembléia. No versículo 12, há uma expressão prática disso. "E, considerando ele (Pedro) nisto, foi à casa de Maria, mãe de João, que tinha por sobrenome Marcos, onde muitos estavam reunidos e oravam". Note que diz que muitos estavam reunidos orando.

A Presença do Senhor na Reunião de Oração

A presença do Senhor é prometida aos dois ou três reunidos ao Seu nome. Que bendita provisão é esta para um dia de ruína! Apenas a um pequeno punhado de pessoas reunidas ao Seu nome é prometida a presença do Senhor em conexão, não somente com a disciplina da assembléia, mas também com a oração da assembléia. Vamos ler Mateus 18 em relação a isto, os bem conhecidos versículo 19 e 20: "Também vos digo que, se dois de vós concordarem na Terra acerca de qualquer coisa que pedirem, isso lhes será feito por Meu Pai, que está nos céus. Porque onde estiverem dois ou três reunidos em Meu nome, aí, estou Eu no meio deles". Que bendita promessa e que encorajamento para nós enquanto nos congregamos na reunião de oração em assembléia! Que possamos não negligenciar esta reunião. Que possamos, como nossos irmãos dos primeiros dias da história da igreja, continuar perseverando na oração em assembléia.

Com Liberdade Para nos Dirigirmos a Deus

Oração, creio eu, é dirigir-se a Deus com liberdade, como vemos em 1 Timóteo 4:5: "Pela Palavra de Deus e pela oração é santificada" (referindo-se aqui à comida). Que bendito privilégio temos de entrar na presença de Deus e nos dirigirmos a Ele com liberdade. Em que? Confissão! Oh, como isto nos convém tendo em vista nossa condição. Não devemos nos esquecer de como as coisas têm se deteriorado desde o princípio. Devemos nos prostrar sobre nossos rostos no mesmo espírito de Daniel, Esdras e outros e reconhecer diante de Deus a confusão de rosto que nos cabe; reconhecendo o pecado e o fracasso que se introduziu, devemos assumir isto e confessá-lo a Deus. Então podemos agradecer e louvá-Lo pelo que Ele é e pelo que Ele tem feito, e, evidentemente, apresentar-Lhe nossas necessidades. Somos um povo dependente; somos um povo necessitado e devemos expressar isto em nossas orações, principalmente em nossa oração conjunta, em assembléia.

Atitude e Maneira de Falar

Procurando por toda a Palavra de Deus, não encontro que seja exigido qualquer tom de voz, qualquer entonação especial, para tornar a oração aceitável. Não encontro tampouco qualquer vocabulário especial para a oração, exceto aquilo que é devido à reverência. Creio que nos enganamos pensando que deve existir alguma tonalidade de voz especial que precisamos usar quando oramos, e somos assim desviados do pensamento de nos dirigirmos a Deus com liberdade.
        
Quando nos reunimos, geralmente começamos nossas reuniões com um hino. Creio ser isto uma questão de ordem. Eu costumava indagar de onde tal costume poderia ter vindo, até que li o Salmo 100: "Apresentai-vos a Ele com canto... entrai... em Seus átrios com hinos". Creio que é uma forma piedosa de se fazer as coisas. Mas quero dizer aqui que estamos juntos para orar, não para passarmos o tempo cantando ou para uma pregação. Não estamos juntos para ler, mas para orar. Portanto, quando nos reunimos e é dado um hino, deveria ser um hino que estivesse em conformidade com os pensamentos que temos considerado aqui.

Necessidades Específicas

Devemos estar prontos a apresentar assuntos específicos e distintos para o exercício da assembléia, pedindo as orações desta. Isto deve ser feito de forma breve e clara com o pedido específico a ser apresentado ao Senhor. Não deveríamos tomar muito tempo apresentando os assuntos à assembléia para oração já que há pouco tempo para orar. Devemos estar diante do Senhor com aquilo que apresentamos para oração e ser específicos acerca de cada necessidade. Como um exemplo disto, o apóstolo diz: "Orando todo o tempo com toda a oração e súplica no Espírito", e não pará aí, mas segue dizendo "e por mim; para que me seja dada, no abrir da minha boca, a palavra com confiança". Portanto é bom sermos específicos naquilo que pedimos.
        
A leitura das Escrituras na reunião de oração tem o propósito específico de nos encorajar em nossas orações, ajudando-nos a ter a mente do Senhor acerca dos pedidos, ajudando-nos a ver o cuidado e amor do Senhor por nós.

A Atitude Física Durante a Oração

Quando fica evidente de que não há mais pedidos nos corações dos irmãos, fiquemos logo de joelhos. Antes de mais nada, consideremos nossa postura física: ficar em pé, ajoelhar, prostrar com o rosto em terra são coisas que acompanham a oração, e são atitudes adequadas. Há ocasiões em que é apropriado e agradável ao Senhor nos prostrarmos, realmente, fisicamente, sobre nossas faces diante dEle, e colocarmos nossos rostos literalmente no pó. Creio que necessitamos de lágrimas genuínas, lágrimas reais provenientes de um coração que sente, juntamente com Deus, as necessidades de Seu amado povo.
        
A maioria de nós acha ser conveniente fechar os olhos enquanto oramos. Porém eu citaria, sem ter o desejo de criticar quem quer que seja, João 17:1: "Jesus falou assim, e, levantando Seus olhos ao céu..." Lembro-me de ter conhecido vários irmãos que seguiam esta prática, e eu desfrutava de suas orações, nunca pensando que estivessem preocupados com qualquer outra coisa além da bem-aventurança que é o Senhor Jesus à direita de Deus, enquanto elevavam a Ele os seus olhos.

O Amém é Nossa Aprovação

A oração em assembléia não é uma oração pessoal, mas coletiva. Isto é algo muito importante. Quando oramos na reunião da assembléia, estamos ali para orar em nome da assembléia. Em conexão a isto, não nos esqueçamos de que nosso "Amém" é nossa aprovação à oração de um irmão. Creio ser este o primeiro pensamento da expressão "se dois de vós concordarem" (Mt 18:19). Não creio que isto queira dizer que dois irmão tenham que mencionar a mesma coisa em oração. Não vejo nada de errado em dois irmãos mencionarem a mesma coisa em oração, mas creio que a expressão "se dois de vós concordarem" se cumpre quando dizemos "Amém" no final da oração. O amém deveria ser audível e unânime. Lemos doze vezes em Deuteronômio 27 que todo o povo deveria dizer "Amém". Irmãos e irmãs juntamente, unidos, dando a aprovação da assembléia à oração pública.

No último verão fiz uma viagem à América do Sul e foi um grande gozo ver que nossos amados irmãos unânimes, de coração e em conjunto, diziam "Amém" no final de uma oração. Que encorajamento traz! Em relação a isto, aquele que ora em nome da assembléia deveria orar em uma voz alta o suficiente para ser ouvida por todos naquela sala. Como posso dizer "Amém" a uma oração que não pude escutar? Orações não ouvidas dão sono e levam à falta de atenção.
        
Quero agora dizer algo sobre as longas pausas entre orações. Elas não são nem necessárias e nem indicam que alguém deve fazer logo uma oração fervorosa ao Senhor. Devemos usar nosso tempo quando estamos juntos para orar, para nos dirigirmos a Deus por toda a assembléia. É verdade que há ocasiões em que uma pausa é proveniente do Senhor, mas com mais frequência trata-se de fraqueza de nossa parte. Talvez não seja preciso acrescentar aqui que pregar aos nossos irmãos, ou recitar doutrina a Deus não convém a alguém que esteja guiando a assembléia em oração. "Deus está nos céus, e tu estás sobre a Terra; pelo que sejam poucas as tuas palavras." (Ec 5:2). Deus Se apraz em nos ouvir falar bem de Seu Filho. Fervente súplica é o que necessitamos, não eloquência.

A Quem nos Dirigimos em Oração?

Normalmente nos dirigimos em oração a Deus Pai, em nome do Senhor Jesus Cristo e no poder do Espírito Santo. Há também ocasiões em que é apropriado dirigir-se ao Senhor Jesus. Ele é a Cabeça da assembléia que é o Seu Corpo e, como tal, nós O buscamos para direção nos assuntos da assembléia. Ele é também o Senhor da seara e, como tal, suplicamos ao Senhor da seara que envie trabalhadores para a seara e possa prover o suficiente para eles, ajudá-los e encorajá-los. E, além de tudo, Ele é Aquele que viveu aqui para a glória de Deus. Ele é capaz de nos compreender quando suplicamos a Ele acerca das circunstâncias do caminho. Estêvão é um exemplo: "Senhor, não lhes imputes este pecado". E também, "Senhor Jesus, receba o meu espírito" (At 7:59-60).
        
No entanto, não vamos confundir as Pessoas da Divindade. Agradecermos a Deus Pai por haver morrido por nós na cruz é algo desprovido de inteligência. Deus Pai enviou o Filho; o Senhor Jesus veio aqui e morreu por nós. Podemos compreender isto, não? Creio que orando no Espírito será suficiente. E por falar nisto, as Escrituras não permitem qualquer idéia de se orar ao Espírito Santo. Evidentemente, Ele é completa e igualmente Deus com o Pai e o Filho. Porém não encontro nenhum exemplo ou preceito de oração ao Espírito Santo. Oramos no Espírito Santo e guiados pelo Espírito Santo.

A Parte do Homem e da Mulher na Oração

Agora, o que dizer das irmãs? Elas não oram de forma audível. Vamos ler 1 Timóteo 2:8: "Quero pois que os homens orem em todo o lugar". Se você ler cuidadosamente verá que a palavra "homem" está em contraste com a palavra "mulher" no versículo 9, portanto os homens oram de forma audível. No entanto a presença das irmãs é importante; elas são uma parte da assembléia. Vendo que em Atos 1:14 era "com as mulheres" você compreenderá o princípio. O Espírito Santo está presente e Ele recolhe os exercícios da assembléia e os apresenta a Deus através da boca de um que ora em voz alta. Mais de uma vez fui encorajado ao ouvir alguma irmã dizer que aquilo que eu havia expressado em oração audível era exatamente o que ela tinha em seu coração.
        
Oh, amados irmãos, busquemos juntamente fazer de nossas reuniões de oração a parte vital da vida da assembléia, como convém que sejam. "Perseverai em oração, velando nela." (Cl 4:2).


R. K. Gorgas

(Esta mensagem originalmente não contém propaganda. Alguns sistemas de envio de email ou RSS costumam adicionar mensagens publicitárias que podem não expressar a opinião do autor.)

Coragem para Permanecer Firme nos Dias que Ainda Restam

Vivemos um dia de coisas pequenas e não devemos ficar desencorajados se encontramos pessoas demonstrando pouco interesse pela verdade, ou até mesmo opondo-se a ela. Estamos já no fim de uma dispensação destroçada e arruinada, sobre a qual o juízo de Deus está prestes cair, e não devemos esperar ver resultados como eram vistos no princípio, quando um Espírito não entristecido estava operando em grande poder.
Acho que encontraremos muita instrução em Esdras, Neemias, Ageu e Malaquias para o dia em que vivemos, que é de um certo modo análogo ao tempo referido naqueles livros. As dez tribos haviam sido levadas cativas por Salmanasar, e perderam-se. Judá esteve cativo na Babilônia, onde ficou 70 anos em cativeiro. Um remanescente de Judá voltou nos dias de Esdras e Neemias, e o templo e os muros da cidade foram reconstruídos. Esse retorno, e a construção do templo e dos muros da cidade eram por pura graça proveniente do Senhor.
Mas vemos da parte do povo, assim tão favorecido, uma constante tendência ao declínio. Eles não seguiram adiante com a obra como deveriam. Sucumbiram à influência do inimigo e a obra cessou. Ageu os acusa por estarem vivendo em casas estucadas, enquanto a casa de Deus ficava em ruínas, e foi necessário que fossem chacoalhados para que tomassem ânimo para seguir com a obra. Então, em Malaquias, pouco mais de cem anos depois, vemos um declínio dos mais horríveis - uma multidão professa, mas sem conteúdo, no meio da qual podiam ser encontrado uns poucos fracos que temiam ao Senhor e que falavam uns aos outros. Foi só aquele pequeno remanescente que recebeu a aprovação do Senhor, sendo assegurados de que pertenceriam a Ele quando viesse para ajuntar Suas jóias.
Cerca de 400 anos mais tarde ainda encontramos esse fraco remanescente em pessoas como Zacarias e Isabel, Maria, os idosos Simeão e Ana, e os pastores dos campos de Belém. Mas, oh! Quão poucos e quão fracos! E é mais ou menos assim agora, à medida que nos aproximamos do fim - uma grande multidão professa, mas quase nada de conteúdo. Mas são os do remanescente que o Senhor reconhece, e dos quais pode dizer: "guardaste a Minha palavra, e não negaste o Meu nome" (Ap 3:8). São estes também que conservaram suas vestes, e que andarão de branco com Ele. Todavia são poucos - não são muitos. Portanto, em um dia assim, o que somos chamados a fazer é "guarda o que tens": "Eis que venho sem demora; guarda o que tens, para que ninguém tome a tua coroa." (Ap 3:11).
O esforço será breve, pois Ele está perto, mas trata-se um esforço real e necessitamos de coragem para permanecer, ainda que fiquemos sós. Houve uma época em que homem algum permaneceu com Paulo. Mas o Senhor permaneceu com ele, e o testemunho foi dado, e ele foi liberto da boca do leão. (2 Tm 1:15; 4:10-17). Quão bendito é podermos contar com Ele, ainda que todos nos abandonem!

A. H. Rule

(Esta mensagem originalmente não contém propaganda. Alguns sistemas de envio de email ou RSS costumam adicionar mensagens publicitárias que podem não expressar a opinião do autor.)

O Advogado

O Advogado faz duas coisas: Suplica ao Pai por nós e aplica em nós a Palavra. Se pecamos, faz valer a súplica, assumindo, diante do Pai, a nossa causa contra o acusador. Pela aplicação da Palavra, revela nosso estado quanto à sua prática, contrastando-o com nossa posição, a qual é sempre mantida sem pecado pelo justo Advogado, O mesmo que já fez a propiciação.
O fracasso em nossa condição provém do fato de possuirmos duas naturezas habitando em nós. "Eu mesmo com o entendimento sirvo à lei de Deus, mas com a carne à lei do pecado." (Rm 7:25). E, embora pela fé, e em espírito, não estejamos mais na carne, ainda assim ela continua em nós (apesar de, pela fé, a considerarmos morta), e daí vem o fracasso. Não há desculpa, mas o fato é que falhamos. Nossa posição como filhos sempre permanece a mesma, ainda quando pecamos, e devemos isso ao justo Advogado que fez propiciação.
"Se alguém pecar, temos um Advogado." (1 Jo 2:1). Mas temos falhado em nossa condição - encontramo-nos manchados. Nossos corpos estão lavados com água pura, isto é verdade (Hb 10:22); já recebemos o lavar da regeneração (Tt 3:5); somos nascidos de novo (Jo 3:3); e é por isso que não precisamos ser lavados novamente. João 13:10 diz que "aquele que está lavado não necessita de lavar senão os pés, pois no mais todo está limpo. Ora vós estais limpos, mas não todos".
Mas pecamos; sujamos nossos pés, por assim dizer, passando por este mundo que nos contamina pelo pecado. Não podemos ficar assim na presença do Pai. O que é que faz o Advogado, então? Ele aplica a Palavra em nós, lava nossos pés, e nos leva à confissão e ao juízo próprio. A recordação de nosso Advogado, que fez a propiciação, nos leva de joelhos de volta a nosso Pai, O qual nos perdoa e nos limpa de todas as nossas injustiças. Somos limpos em conformidade com o que Cristo é, como o Justo na presença do Pai. É este o lavar pela água da Palavra, não pelo sangue que nunca é repetido. Trata-se da aplicação da morte de Cristo, por meio da Palavra, na corrupção moral que provém da raiz de pecado. Assim a bendita obra do Advogado, por um lado para rogar pelos filhos diante o Pai no caso de pecarem, e, por outro, para lavar seus pés com a Palavra e tornar sua condição e seu andar condizentes com a posição que têm diante dEle.
Quão felizes somos por estarmos associados ao bendito Advogado - que por um lado suplica por nossos irmãos caso pequem, e por outro leva-lhes a Sua Palavra, lavando seus pés. Que o Senhor permita que os santos enxerguem o bendito privilégio que têm, de se valer do amor para cobrir pecados (Pv 10:12). Possam eles suplicar por seus irmãos, se pecarem, e agir em fidelidade a eles, levando-lhes a Palavra e lavando seus pés a fim de que possam ser lavados das contaminações. Vencerão assim o acusador por meio do sangue do Cordeiro, se for o caso de seus irmãos pecarem, e resistir-lhe-ão com desenvoltura, usando a Palavra de Seu testemunho, assim como fez o bendito Senhor.
O Senhor respondeu ao diabo, quando este O tentava procurando fazê-Lo pecar, usando sempre: "Está escrito". Assim devemos fazer. E, se pecarmos, podemos, graças a Deus, sempre dar-lhe a resposta pelo sangue do Cordeiro, que é o bálsamo para toda ferida. O sangue do Cordeiro, e a Palavra, a espada do Espírito, são nossos instrumentos contra o diabo enquanto estamos aqui, e enquanto o Advogado defende nossa causa diante do Pai lá no céu. Somos assim sempre preservados, e somos vencedores, "mais do que vencedores, por Aquele que nos amou" (Rm 8:37).


A. P. Cecil

(Esta mensagem originalmente não contém propaganda. Alguns sistemas de envio de email ou RSS costumam adicionar mensagens publicitárias que podem não expressar a opinião do autor.)

Jovens na Epistola de Joao

Em 1 João 2:13 aprendemos que os jovens são caracterizados como tendo vencido o maligno. Na segunda vez em que o apóstolo se dirige aos jovens, ele menciona o segredo de sua força e os alerta acerca do mundo (1 Jo 2:14-15). Amar o mundo e amar o Pai são duas coisas incompatíveis. Todos os elementos que fazem o mundo ser como ele é têm sua origem no próprio mundo, e não no Pai. Por isso o mundo e sua concupiscência passa, enquanto que aquele que faz a vontade de Deus permanece para sempre.
Vamos examinar estes diferentes pontos:

Jovens No Livro De Atos

Ensinando-nos Por Seu Exemplo

O livro de Atos dos Apóstolos nos ensina mais por exemplo do que por mandamento. Ele não apresenta tantos mandamentos para obedecer, como apresenta padrões para serem seguidos. Uma coisa é sermos corretos na doutrina; outra, bem diferente, é sermos corretos em nosso andar, embora ambas as coisas nunca deveriam estar separadas.

Jonatas

Faltou uma coisa

Há algum tempo, durante uma reunião de estudo da Palavra, minha atenção foi despertada para as tristes circunstâncias da morte de Jônatas no Monte Gilboa. Israel fugiu diante do inimigo, e foi vencido. Saul foi morto, e seus três filhos foram mortos juntamente com ele. 

Sou do Senhor

"Não sois de vós mesmos... Porque fostes comprados por bom preço; glorificai pois a Deus no vosso corpo, e no vosso espírito, os quais pertencem a Deus." (1 Co 6:19-20).

O Salmo 101 e o Mundo

Oito versículos do Salmo 101 que nos falam das influências mundanas de coisas como a televisão.

O Espirito De Graça

Que Espírito Nós Manifestamos?
O Senhor prometeu estar perto de nós em certas condições de coração, pois Ele é compassivo. Ele diz, "Perto está o Senhor dos que têm o coração quebrantado" (Sl 34:18). Você já experimentou isto? Um coração quebrantado - quanto ele dói! Acaso isto produz um espírito contrito? Se assim for, a promessa é que o Senhor "salva os contritos de espírito. Muitas são as aflições do justo, mas o Senhor o livra de todas" (Sl 34:18-19).

Sera que estamos Vigiando e Servindo?

LUCAS 12
Ao meditarmos nas palavras de nosso Senhor nos evangelhos, deveríamos nos lembrar de que Ele disse: "Importa, porém, que seja batizado com um certo batismo: e como Me angustio até que venha a cumprir-se!" (Lc 12:50). Isto é, ali Ele ainda não podia revelar toda a verdade, pois Sua morte e ressurreição ainda não haviam se cumprido. Ele estava angustiado. É por esta razão que a vinda do Senhor como nossa esperança ainda não poderia ser tão claramente apresentada, como o foi posteriormente nas epístolas. Nelas encontramos que há uma distinção entre a vinda de nosso Senhor para nós, e a revelação ou a manifestação do Senhor quando viermos do céu para reinar com Ele. Isso não podia ter sido revelado antes que a nação de Israel, sob a lei, tivesse rejeitado seu Messias e fosse colocada debaixo dos procedimentos judiciais de Deus.

O Grande Plano de Deus

É reconfortante abrirmos a Palavra de Deus em busca de versículos ou assuntos que se refiram a nós mesmos - que nos mostrem como podemos desfrutar das bênçãos que nos cabem, ou então de como o Senhor pode resolver algum problema particular ou guiar-nos em alguma decisão a tomar. No entanto, se realmente desejamos conhecer o coração de Deus, é de extrema importância que desfrutemos, juntamente com Deus, de Sua Palavra - não apenas de alguns bocados aqui e ali, mas de toda ela.

Postagens populares